Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


quinta-feira, 14 de abril de 2011

Tecnologia SMS ajuda a diminuir o índice de ausência em exames agendados SMS technology helps reduce the rate of absence from scheduled exams

por Saúde Business Web

13/04/2011

O resultado foi alcançado no primeiro mês de utilização do recurso

O laboratório Dr. Ghelfond Diagnóstico Médico instaurou recentemente o recurso do SMS como ferramenta para otimizar o atendimento aos clientes de sua rede e obteve resultados positivos logo no primeiro mês. Isso porque registrou uma redução de cerca de 20% do índice de ausência nos exames agendados

De acordo com dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), ao final de fevereiro o total de assinantes de telefonia celular no Brasil chegou à casa dos 207,5 milhões.

Em vista disso, a Central de Atendimento ao Cliente do Dr Ghelfond passou a utilizar o serviço Short Message Service (SMS) como recurso para tornar o atendimento aos pacientes mais ágil. Acredita-se que, em breve, a ferramenta estará disponibilizada para todos os procedimentos realizados na rede de serviços.

A ferramenta tem sido utilizada para confirmação e lembrete do agendamento de exames com ênfase nos procedimentos de alta complexidade, como ressonância magnética e medicina nuclear. Sendo assim, a empresa envia lembretes com data e horário dos exames ao celular do cliente com 24 horas de antecedência. E, caso haja um possível cancelamento, tenha a chance de remarcar o procedimento

Ministério da Saúde firma parceria para produção de medicamentos

por Saúde Business Web

13/04/2011

Acredita-se que os acordos fortalecerão o complexo industrial brasileiro

Em reunião com representantes do governo federal e da indústria farmacêutica, o Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos) fechou três novas parcerias estratégicas com o Ministério da Saúde.

O evento foi realizado no auditório da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAs), em Brasília. Além do acordo firmado com o Instituto de Tecnologia em Fármacos, o Ministério da Saúde também assinou acordos para a produção de medicamentos para Parkinson, AIDS, Artrite Reumatóide e Doença de Crohn.

Segundo dados do Ministério da Saúde, esses acordos fortalecerão o complexo industrial brasileiro e resultarão em uma economia de R$700 milhões no decorrer de cinco anos, período em que o país deverá se tornar auto-suficiente na produção desses medicamentos.

Os acordos têm como meta a fabricação dos medicamentos Atazanavir, com a empresa Bristol Myers Squibb, para o tratamento do vírus HIV/ADS; Pramipexol, com a Beringer Ingelhein, para o mal de Alzheimer e Micofenolato de Mofetila, com a empresa Roche, para o tratamento de doentes renais transplantados

ANS faz consulta sobre a manutenção do plano de saúde para demitidos e aposentados

por Saúde Business Web

13/04/2011

Lei assegura direito, mas segundo Agência há necessidade a necessidade de rever a definição alguns de conceitos

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) inicia na próxima semana uma consulta pública sobre a proposta de regulamentação da manutenção dos planos de saúde após aposentadoria ou demissão sem justa causa, conforme artigos da Lei 9.656/98.

A lei já assegura aos ex-empregados demitidos ou exonerados sem justa causa e aos aposentados que contribuem com o pagamento de seus planos de saúde o direito de manutenção da condição de beneficiários nas mesmas condições de cobertura assistencial que possuíam durante a vigência do contrato de trabalho, desde que assumam o seu pagamento integral.

Os artigos estão regulamentados pelas Resoluções CONSU 20 e 21, de 7 de abril de 2009, e pela Súmula Normativa nº 08, de 27 de junho de 2005. No entanto, a partir de solicitações recebidas pela ANS, foi constatada a necessidade de rever a definição de alguns conceitos e elaborar nova regulamentação sobre o tema.

Discussão

Com a finalidade de debater os pontos que deveriam ser abordados pela Resolução Normativa, foram realizadas quatro reuniões com a participação de representantes de operadoras de planos de saúde, empregadores e consumidores, no período de julho a outubro de 2010.

Dentre os pontos que geram dúvidas destacam-se:

1 - a definição de "contribuição" que torna os beneficiários demitidos ou aposentados elegíveis às garantias da lei;

2 - a definição da expressão "mesmas condições de cobertura assistencial" prevista no caput dos artigos 30 e 31 da lei;

3 - as condições de reajuste, preço, faixa etária e fator moderador nos planos durante o gozo dos benefícios assegurados nos referidos artigos;

4 - a garantia de oferecimento do benefício previsto no artigo 31 da Lei 9.656/98 ao beneficiário aposentado que continua trabalhando na mesma empresa;

5 - o pagamento da mensalidade dos demitidos ou aposentados nos planos em pós-pagamento;

6 - a aplicabilidade dos artigos 30 e 31 aos planos anteriores à Lei 9656/98;

7 - a contagem do tempo de contribuição para fins do disposto nos artigos 30 e 31 não depende de o empregador permanecer com a mesma operadora ao longo do tempo;

8 - as condições de portabilidade de carências para os demitidos ou aposentados após o término do período de manutenção da condição de beneficiário garantida nos artigos 30 e 31 da Lei 9656/98.

Toda a sociedade poderá participar da Consulta Pública 41. Os interessados deverão enviar contribuições exclusivamente pelo formulário eletrônico disponível na página da ANS na Internet, no período de 19/04 a 18/05/2011.

Lei derruba cobrança de taxa para acompanhantes em maternidades

por Saúde Business Web

13/04/2011

Medida publicada no DOU de São Paulo reforça a lei federal. Gargalo será a fiscalização

Nesta segunda-feira, (11), foi publicada uma lei no Diário Oficial do Estado de São Paulo que diz que hospitais não poderão mais cobrar taxa de quem acompanha o parto no centro obstétrico.

A publicação afirma que os procedimentos de higienização, esterilização entre outros não poderão mais ser cobrados.

O direito de ter um acompanhante durante o parto já era garantido por lei estadual e federal. No entanto, as leis não se referiam às cobranças de taxa.

No ano de 2008, a Agência Nacional de Saúde determinou que, no caso de beneficiários de saúde, as operadoras precisariam cobrir as despesas do acompanhante. E não poderia haver nenhuma despesa aos usuários.

A nova norma ainda precisa ser regulamentada pela Secretaria Estadual Saúde, que também irá determinar como será feita a fiscalização e qual será a penalidade para as instituições que desobedeceram à regra.

Conselhos Regionais de Medicina trocam diretorias

Sedes de Mato Grosso, Pernambuco e São Paulo terão novos representantes

Nessa semana, três conselhos regionais de medicina passaram por mudanças nas suas diretorias. Dentre eles, Mato Grosso (CRM-MT), São Paulo (Cremesp) e Pernambuco (Cremepe).

A primeira troca foi realizada no conselho do Mato Grosso, que deu posse à endocrinologista e nutrologista Dalva Alves das Neves. A solenidade foi realizada, na última segunda-feira, (11), na Sede do CRM - MT, em Cuiabá.

A próxima cerimônia de posse será na próxima quinta-feira, (14), no conselho de Pernambuco. A nova representante será a medica especialista em reumatologia e medicina do trabalho Helena carneiro Leão.

A sede de São Paulo, Cremesp, irá encerrar as solenidades da semana, ao empossar o clínico e cardiologista Renato Azevedo Júnior como novo presidente.

Medtronic adquire novo recurso para tratamento de pacientes de cirurgia de sinusite crônica

por Saúde Business Web

13/04/2011

Tecnologia inovadora contribuirá para o desenvolvimento de produtos que ajudam na cicatrização

A Medtronic adquiriu uma nova tecnologia, o gel de quitosana-dextran, da empresa australiana Adelaide Research & Innovation - de desenvolvimento comercial da Universidade de Adelaide - e das neozelandesas Robinson Squidgel e Otago Innovation - da Universidade de Otago.

A tecnologia será utilizada para o desenvolvimento de futuros produtos para cirurgia endoscópica funcional dos seios da face, designada pela sigla FESS (functional endoscopic sinus surgery), procedimento comum nos casos de sinusite crônica.

Uma das principais complicações da FESS é o sangramento e uma aderência de tecido que ocorre durante a cicatrização, bloqueando os seios da face e fazendo com que a doença retorne, o que exige uma nova cirurgia.

Nos estudos realizados, o gel quitosana-dextran se mostrou muito eficiente na contenção rápida do sangramento e resultou em menor incidência das aderências pós-operatórias.

"A tecnologia do gel de quitosana-dextran aumentará a capacidade da Medtronic em oferecer produtos terapêuticos inovadores para o cuidado com o paciente no pós-operatório", afirmou Mark Fletcher, presidente da divisão de otorrinolaringologia da área de negócios em tecnologias cirúrgica da Medtronic. Segundo o executivo, a empresa é líder no nicho de cirurgias dos seios da face e esta é mais uma oportunidade de expansão do portfólio de produtos para FESS.

Você sabe o que é andropausa? Saiba informações! You know what is andropause? Learn information!

Foto: Divulgação
A andropausa caracteriza-se pela baixa produção do hormônio masculino, a testosterona. Produzido pelos testículos, esse hormônio é responsável pelo desenvolvimento de características como a voz e o crescimento dos pelos e da barba. Além disso, a testosterona age diretamente no desempenho sexual, sendo que, uma vez reduzida, pode alterar a função sexual do indivíduo.
“Os sintomas da andropausa surgem quando os níveis sanguíneos de testosterona estão abaixo do normal. Isso pode acontecer em qualquer idade, mas normalmente ocorre em homens a partir dos 45 anos. Com o avanço da idade, a testosterona começa a cair cerca de 1% ao ano”, explica o andrologista Fernando Chagas.

Apesar de no Brasil não haver números exatos da prevalência da andropausa – muito porque nem sempre os homens com sintomas da síndrome procuram o médico –, é certo que ela não atinge todos os homens. “O termo andropausa foi criado em analogia à menopausa, mas diferencia-se dela porque não ocorre em todos os homens e também porque não é a parada na produção do hormônio, como na mulher, mas sim sua diminuição”, destaca Fernando.
Sintomas e tratamento

Entre os sintomas da andropausa estão o aumento da proporção de gordura corporal, a diminuição da massa muscular, a tendência à anemia e à osteoporose, a diminuição do desejo sexual, dificuldade de concentração, alterações no desempenho sexual (dificuldade de ereção), apatia, depressão, desânimo, ciclos inexplicáveis de calor, infertilidade, fraqueza, entre outros.
Quanto ao tratamento da andropausa, de acordo com o andrologista, “no dia a dia, precisamos tratá-la com atividades físicas regulares, alimentação adequada, manutenção do peso e melhora na qualidade de vida. Simultaneamente, é necessário fazer terapia de reposição hormonal”, diz.
Reposição hormonal: controvérsias

A reposição de testosterona no organismo masculino pode ser realizada de quatro formas diferentes: injeções semanais ou mensais (método mais usado no Brasil), adesivos colocados sobre a pele, comprimidos ministrados por via oral e gel de testosterona. Os adesivos são responsáveis por até 80% de reações alérgicas, enquanto a absorção dos comprimidos no intestino são irregulares, além de eles serem tóxicos para o fígado. O gel, por sua vez, tem as vantagens dos adesivos, mas sem as reações alérgicas.
Havendo exagero na reposição da testosterona, pode ocorrer o crescimento das mamas, o aumento do número de glóbulos vermelhos no sangue (que pode predispor o indivíduo a derrames e infartos), lesões no fígado (desde hepatite C até câncer), a aceleração do crescimento de tumores de próstata e a retenção de água e de sais minerais, o que pode agravar quadros de insuficiência cardíaca e de hipertensão.
“O aumento do colesterol ruim, que é creditado às terapias de reposição hormonal, ainda não está comprovado. Apesar das consequências do uso do hormônio, se a andropausa não for tratada por levar à anemia, à infertilidade e ainda à osteoporose”, ressalta o andrologista.

Clínica de aborto tinha registro do nome de jovem morta há três meses Abortion clinic had registered the names of dead girl three months ago

Caso da vítima, de 25 anos, deu início às investigações que fecharam estabelecimento ilegal no Centro

Clínica de aborto tinha registro do nome de jovem morta há três meses<br /><b>Crédito: </b> Pedro Revillion
Clínica de aborto tinha registro do nome de jovem morta há três meses
Crédito: Pedro Revillion
A Polícia Civil ainda analisa o material apreendido na clínica de aborto fechada nesta quarta-feira, no Centro de Porto Alegre, mas descobriu um registro chave para ligar o estabelecimento à morte de uma paciente. Entre os "pacientes" da clínica clandestina, está o nome da jovem de 25 anos que faleceu há três meses, após dar entrada no Hospital Nossa Senhora da Graças, em Canoas, com hemorragia e fortes abdominais.

De acordo com o delegado Silvio Huppes, a perícia também completou o trabalho programado para a noite de hoje. Os procedimentos mostraram "grande quantidade de sangue, até mesmo nas paredes do local onde as mulheres eram atendidas". No chão, na poltrona da sala de consultas e também em uma cadeira ginecológica foram detectadas amostras de sangue.

Conforme o policial, a quantidade de material identificado, através de uma substância que realçadora, evidencia que a clínica realizava procedimentos diariamente. Ainda no material recolhido dos proprietários do estabelecimento, foi encontrado o nome de uma menina de 14 anos, na lista com centenas de pacientes com registro de atendimento.

http://www.correiodopovo.com.br/Noticias/?Noticia=280505

Motel pode ser obrigado a dar camisinha para cliente Motel may be required to give condoms to client

Matéria aprovada no Senado agora vai ser analisada pela Câmara

CAS (Comissão de Assuntos Sociais) do Senado aprovou nesta quarta-feira (13) um projeto que obriga motéis, hotéis e pousadas a cederem preservativos aos clientes. A proposta segue diretamente para a Câmara, a não ser que algum senador entre com recurso para que o plenário da Casa vote o assunto.

O projeto, de autoria da senadora Maria do Carmo Alves (DEM-SE), previa que a obrigatoriedade fosse apenas para os motéis. Mas uma emenda do senador Lindbergh Farias (PT-RJ) incluiu os hotéis, pousadas e estabelecimento similares entre os que estão obrigados a cederem pelo menos um preservativo a seus frequentadores.

A emenda foi feita oralmente e aprovada pelos senadores da comissão. Segundo a assessoria do senador, a sugestão foi feita com base em nota técnica do Ministério da Saúde.

O projeto não especifica se a cessão será feita a pedido dos clientes ou se o preservativo poderá ser colocado nos quartos. Na segunda hipótese, a ampliação da exigência para outros estabelecimentos poderá fazer com que o preservativo esteja em quartos com crianças, por exemplo.

O projeto prevê ainda que devem ser fornecidos folhetos educativos sobre doenças sexualmente transmissíveis (DST). A norma entraria em vigor 180 dias após a aprovação da lei.

Vegetarianos sofrem menos com problemas como infarto, diabetes e derrame Vegetarians suffer less from problems such as stroke, diabetes and stroke

Estudo mostra que mostra que boa alimentação diminui riscos cardiovasculares
Study shows that shows that good nutrition lowers cardiovascular risk

Os vegetarianos - pessoas que não comem nenhum tipo de carne – têm 36% menos chances de enfrentar uma doença chamada Síndrome Metabólica, que é a porta de entrada para doenças cardíacas, diabetes e derrame. É o que aponta um estudo realizado na Universidade Loma Linda, nos Estados Unidos.

A Síndrome Metabólica, também chamada síndrome de resistência à insulina, inclui um conjunto de problemas de saúde: nível de triglicerídeos baixo, baixo nível de colesterol HDL (o bom), pressão alta, resistência à ação da insulina (substância necessária para transformar açúcar em energia), nível alto de glicose.

Os pesquisadores avaliaram 700 pessoas adultas. Desse total, 35% eram vegetarianos. Esse grupo, juntamente com os semi-vegetarianos, tinham, em média, três anos de idade a mais que os não-vegetarianos. Mas, apesar de serem mais velhos, os vegetarianos apresentaram taxas mais baixas de triglicerídeos, glicose, pressão sanguínea, circunferência da cintura e de IMC (Índice de Massa Corporal).

De acordo com o pesquisador Nico Rizzo, principal autor do estudo, os semi-vegetarianos também apresentaram menor circunferência da cintura e IMC mais baixo.

Os resultados mostraram ainda que, enquanto 25% dos vegetarianos sofrem de Síndrome Metabólica, esse número sobe para 37% entre os semi-vegetarianos e 39% entre os não-vegetarianos.

- Eu fiquei surpreso com a diferença de resultados entre vegetarianos e não-vegetarianos. Isso indica que alguns fatores, como a dieta, podem ser importantes na prevenção da doença.

Para Rizzo, o trabalho mostra que uma boa alimentação diminui as chances de problemas cardiovasculares.

Saiba como conseguir remédios de alto custo pelo SUS

http://noticias.r7.com/saude/noticias/saiba-como-conseguir-remedios-de-alto-custo-pelo-sus-20110413.html

Herpes genital pode ser transmitida mesmo sem sintomas Genital herpes can be transmitted even without symptoms

Estudo mostra que transmissão não está ligada aos sinais clínicos da doença, mas à atividade do vírus
Study shows that transmission is not linked to clinical signs of disease but the virus activity
estadão.com.br


SÃO PAULO - Um estudo conduzido por Anna Wald, da Universidade de Washington, e Fred Hutchinson, do Centro de Pesquisa do Câncer de Seattle mostrou que há um alto risco de transmissão de herpes simplex tipo 2 (HSV-2), que é mais comum na região genital, por aqueles que nem sabem que têm o vírus e não sentem os sintomas da doença.


"Herpes simplex tipo 2 é uma das infecções mais frequentemente transmitidas sexualmente no mundo, com uma estimativa de 536 milhões de pessoas infectadas e uma incidência de 23,6 milhões de casos entre pessoas com idades entre 15 e 49 anos. Nos Estados Unidos, 16% dos adultos apresentam HSV-2, mas apenas de 10% a 25% dos infectados reconheceram a herpes genital. Mais ainda, a maioria das infecções de HSV-2 são de pessoas sem histórico clínico da doença", escreveram os autores. Assim, fica claro que o risco de transmissão sexual não é correlacionado ao reconhecimento dos sinais clínicos e sintomas, mas sim com a atividade do vírus.

Para este estudo, a equipe de pesquisadores comparou, entre março de 1992 e abril de 2008, taxas e padrões da transmissão da doença na região genital em 498 pessoas infectadas. Cada participante coletou amostras da secreção genital pelo período mínimo de 30 dias. A taxa de transmissão foi medida por reação em cadeia de polimerase (um tipo de teste para DNA viral).

"Nossas descobertas sugerem que a "melhor prática" de gerenciamento da infecção em pessoas que souberam que têm o vírus por teste sorológico devem incluir uma orientação considerando os sintomas na região genital e o aconselhamento sobre o potencial de transmissão. O problema da infecção é tanto uma questão de gerenciamento do pacientes quanto de interesse de saúde pública. A primeira preocupação dos infectados com HSV-2 é o risco de transmissão aos parceiros sexuais; na nossa experiência esta é a principal fonte de angústia dos pacientes com herpes genital", dizia o texto encaminhado pelos autores.

Os pesquisadores disseram que vários métodos que parcialmente reduzem o risco de transmissão para os parceiros sexuais já foram identificados. "O uso de camisinha, terapia diária com valaciclovir e a revelação sobre a infecção diminui pela metade o risco de transmissão de HSV-2. No entanto, estas abordagens atingem uma porção pequena da população. Uma das razões para um efeito tão limitado é que poucas pessoas sabem sobre sua infecção com HSV2.

http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,estudo-alerta-para-a-falta-de-informacao-das-pessoas-com-herpes,705375,0.htm

Método cria células do coração usando células do sangue Method creates heart cells using cells from blood

http://tv.estadao.com.br/videos,METODO-CRIA-CELULAS-DO-CORACAO-USANDO-CELULAS-DO-SANGUE,135113,250,0.htm

Dengue tipo 4: Entenda qual é o risco Dengue type 4: Understand what is the risk

http://tv.estadao.com.br/videos,DENGUE-TIPO-4-ENTENDA-QUAL-E-O-RISCO,135475,250,0.htm

OMS revela que 2,6 milhões de bebês nascem mortos no mundo a cada ano WHO reveals that 2.6 million babies are stillborn each year worldwide

Estudo recolhe dados desde 1995 e mostra que taxa caiu pouco mais de 1% ao ano; metade dos óbitos ocorre durante o parto, devido à falta de um pré-natal de qualidade
Study collects data from 1995 and shows that rate fell slightly over 1% a year and half of deaths occur during childbirth, due to a lack of quality prenatal

EFE

GENEBRA - A cada ano 2,6 milhões de bebês nascem mortos no mundo e 98% desses casos ocorrem em países de renda média e baixa, segundo a primeira estimativa global sobre o problema realizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Apesar do elevado número, o drama de bebês nascidos mortos obteve pouca atenção internacional, em comparação com os esforços para reduzir a mortalidade materna e neonatal. "Existe um tabu. As mulheres são marginalizadas e, em certos contextos, se acredita que se trate de um castigo divino pelos pecados da mãe", explicou em entrevista coletiva o chefe de epidemiologia do Instituto de Saúde Pública da Noruega, Frederik Froen.

No total, 69 autores de dezenas de organizações em 18 países contribuíram para a pesquisa, com o aval da OMS. O estudo recolhe dados desde 1995 e revela que, em 15 anos, o número de bebês que nascem mortos se reduziu, em média, apenas 1,1% ao ano, de 3 milhões de casos (1995) para 2,6 milhões em 2009, último ano para o qual foi possível reunir estatísticas globais.

Dessas mortes prematuras, a metade ocorre durante o parto devido à falta de um pré-natal de qualidade, incluindo o acesso a uma cesariana em caso de necessidade.

Mais uma vez ficou evidente a influência que a renda da população tem sobre o problema, já que 66% dos casos (1,8 milhão) se concentram em países como Índia, Paquistão, Nigéria, China, Bangladesh, República Democrática do Congo (RDC), Etiópia, Indonésia, Afeganistão e Tanzânia.

As taxas mais baixas de bebês que nascem mortos se encontram em Dinamarca e Noruega (2,2 a cada mil nascimentos), enquanto as mais altas se registram em Paquistão (47) Nigéria (42) e Bangladesh (36).

Ao apresentar os resultados desta pesquisa, Froen ressaltou que as taxas podem variar consideravelmente inclusive dentro de um mesmo país, como ocorre na Índia, onde vão de 22 até 66 por cada mil nascimentos, dependendo dos estados.

Por sua vez, a coordenadora de saúde reprodutiva da OMS, Catherine D'Arcangues, explicou que o problema não recebeu a atenção necessária e prova disso foi a dificuldade de se obter dados confiáveis, que só puderam ser obtidos em 63 dos 193 países analisados.

"Em alguns países, esta causa de morte nem sequer é registrada", disse a especialista, quem ressaltou que essa falta de informação se observa principalmente nos países mais afetados pelo problema.

Se nos países em desenvolvimento os casos de bebês nascidos mortos estão geralmente associados à pobreza e ao baixo nível de educação, nos países ricos os principais fatores de risco são a obesidade, a idade da mãe no primeiro parto (a partir dos 35 anos) e o consumo de cigarro ou drogas durante a gravidez, explicou Froen.

A região mais atrasada nesse sentido é a África Subsaariana, que diminuiu a incidência de bebês nascidos mortos em 0,7% ao ano desde 1995, enquanto nas Américas o progresso mereceu destaque, com uma redução de 2,4%, segundo Catherine.

O México, que com cinco mortes a cada mil nascimentos reduziu à metade o número de casos durante o período analisado, também foi destacado pela especialista. Os países que mais avanços registraram foram Argentina e Costa Rica, com cinco casos por mil nascimentos cada, além de Colômbia (6), Cuba (8), Chile (9), Peru, Brasil, Guatemala (10) e Venezuela (11), enquanto os pires casos foram os de Paraguai (19), Honduras (18) e Bolívia (17), segundo a OMS.

Plano de saúde não pode premiar médicos Health plan can not reward doctors

Planos de saúde estão proibidos de oferecer prêmios para médicos que respeitarem uma cota mínima para solicitação de exames ou outros procedimentos complementares. A prática, que de acordo com profissionais é adotada por boa parte das operadoras para reduzir os custos, agora é expressamente considerada uma infração, de acordo com instrução normativa da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) publicada ontem no Diário Oficial. A pena para operadoras que descumprirem a ANS vai de sanção a multa de R$ 35 mil.

“É um avanço inegável. O que o País precisa, agora, é que a medida seja colocada em prática e, principalmente, que seja fiscalizada”, afirmou o vice-presidente do Conselho Federal de Medicina, Aluísio Tibiriçá.

A ANS informou que todas as recomendações de operadoras que interferem na liberdade do médico já são consideradas infrações. Mas as empresas se valiam da ideia de que “gratificação” não poderia ser considerada como um interferência.

O presidente do Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp), Renato Azevedo Júnior, conta que a chamada “meta referencial”, usada pelas operadoras, era fixada por meio de critérios determinados pelos próprios convênios. “Não há a menor condição de se estabelecer um padrão para atendimento em consultório. Isso só prejudica o atendimento do paciente e, sobretudo, interfere na autonomia do médico”, disse. E há outros exemplos de interferência, como a negativa de autorização para realização de exames ou procedimentos.

“As normas da ANS estão aí. Mas muitas operadoras apostam na impunidade. Não há fiscalização, não há risco de punição.”

Casos de dengue crescem 405% em São Paulo Cases of dengue grow 405% in Sao Paulo

O número de casos de dengue na capital cresceu 405% de acordo com o último balanço divulgado pela Prefeitura. Em 4 de março, a Secretaria Municipal de Saúde divulgou 149 casos contraídos na cidade. Agora são 757, sendo 410 só em março.

O aumento ocorre porque, segundo especialistas, há um retardo médio de 60 dias entre o pico da população de mosquitos Aedes aegypti – transmissor da doença – e o número de casos de pessoas com a doença.

“Historicamente, os meses de março e abril são os que apresentam maior número de casos da doença. A população de mosquitos começa a crescer em novembro, quando a chuva intensifica. Em janeiro, ela atinge o auge e o pico na transmissão ocorre cerca de dois meses depois”, explica o epidemiologista da Universidade de São Paulo (USP) Marcelo Nascimento Burattini.

Isso acontece porque o desenvolvimento do mosquito passa por uma série de fases. A transformação de larva para mosquito pode levar entre 3 e 4 semanas, dependendo das condições ambientais e climáticas. “Depois, ele tem que voar, encontrar uma pessoa infectada com a dengue.

O vírus da dengue precisa de um tempo de encubação no mosquito de 10 a 12 dias, para então ser transmitido. Por isso, esse tempo todo para aparecerem os casos de pessoas com as doenças”, diz Burattini.

Os bairros do Itaim-Bibi e Campo Limpo, ambos na zona sul, lideram o ranking da doença em São Paulo. Cada um registrou 69 casos entre janeiro e março. Tucuruvi, na zona norte, recebeu 37 notificações. De acordo com a Secretaria de Saúde, uma das possíveis causas do aumento de notificações no Itaim-Bibi é a recusa dos moradores em receber agentes de saúde em suas casas. A negativa ocorre em 50% dos domicílios.

Já no Campo Limpo, “o tipo de construção das moradias, com laje de superfície irregular e caixas d’água externas, pode facilitar a proliferação dos mosquitos, caso os moradores não tomem os devidos cuidados”, diz a nota. O bairro registrou no primeiro trimestre do ano passado 333, entre os 2.072 apontados na cidade.

Neste ano, o Morumbi registrou cinco pessoas contagiadas. Uma delas, a agente de viagens Érika Ohata, de 50 anos. Ela descobriu que estava com a doença no início do mês. “Nunca fico doente, mas por três ou quatro dias seguidos senti uma dor de cabeça horrível, vômito e dores no corpo. Fui ao médico e descobri que era dengue. Agora estou me recuperando”, disse Érika, que não tem nenhum conhecido com a doença.

Célula sadia ataca câncer na mama, diz estudo Attacking healthy cells in breast cancer, study says

Alexandre Gonçalves e Karina Toledo - O Estado de S.Paulo
Células sadias da mama produzem uma proteína - a interleucina 25 (IL-25) - que envenena células cancerosas na vizinhança. Pesquisadores já sintetizam a substância em laboratório e apostam na sua viabilidade como uma futura terapia contra cerca de 20% dos tumores de mama.

Divulgação/Science
Divulgação/Science
Uma unidade estrutural do seio humano
Baixa toxicidade e alta eficácia constituem as principais vantagens da IL-25 sobre a maioria dos tratamentos disponíveis. Como a substância faz parte do arsenal inato do organismo para detectar e destruir células defeituosas, sua ação é muito seletiva: não causa danos às células sadias e devasta o tumor.

Todos os dias, o corpo humano gera cerca de mil células anormais que podem se transformar em câncer. Graças ao sistema imunológico inato, a imensa maioria é erradicada antes de causar qualquer problema.

A IL-25 pertence a esse sistema. Em 20% dos tumores de mama, as células cancerosas absorvem grande quantidade de IL-25 produzido por células sadias. A proteína intoxica o tumor (mais informações nesta página).

Os pesquisadores criaram um meio de cultura tridimensional in vitro com células normais e cancerosas. Estudaram as trocas de mensagens químicas entre elas. Identificaram cinco fatores relacionados à destruição de tumores. O IL-25 mostrou-se o assassino mais eficiente.

Testaram então em camundongos previamente preparados com enxertos de tumores de mama humanos. A substância eliminou os cânceres nos animais.

Aposta. "Já transferimos a tecnologia para uma empresa que realizará o desenvolvimento do produto. Os testes em humanos devem levar, no mínimo, dois anos para começar", afirma Irene Kuhn, do Laboratório Nacional Lawrence Berkeley, nos Estados Unidos. Irene participou do estudo, divulgado na última edição da revista Science Translational Medicine.

A canadense Lotus Therapeutics está testando uma droga chamada virulizin contra câncer de pâncreas. O medicamento estimula a ação do sistema imunológico. Entre outras coisas, por meio do aumento da produção de IL-25. Os testes clínicos estão em fase dois.

A mesma empresa também pesquisa o uso do IL-25 contra melanomas, mas os testes clínicos não começaram ainda. De qualquer forma, Irene sugere que, se a droga for aprovada para uso contra melanomas, será muito mais fácil obter autorização para utilizá-la depois contra cânceres de mama.
Afonso Nazário, mastologista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), pondera que os resultados são promissores, mas ainda estão no nível da pesquisa básica. "Pode levar 10 ou 15 anos para virar um medicamento", afirma. Ele recorda que outras pesquisas também procuram fatores semelhantes ao IL-25, capazes de causar a morte seletiva de células cancerosas.

No Brasil. Coordenador do setor de mastologia do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP) e do Hospital das Clínicas (HC), José Roberto Filassi afirma que “desconhecia a aplicação clínica da proteína IL-25no câncer de mama.”

Para o médico, a novidade indica “mais um possível caminho para o tratamento”. Filassi, contudo, diz que ainda não é possível falar em cura. “Fico com a dúvida de como a IL-25 irá alcançar o ‘alvo’, as células cancerosas?”, pondera.

Para José Bines, oncologista do Instituto Nacional de Câncer (INCA), a aplicação da proteína no tratamento do câncer de mama ainda é uma possibilidade distante. “Mas a atividade anti-tumoral da IL-25 demonstrada na pesquisa tem, sim, potencial. Poderá ajudar a compreender o efeito da célula tumorosa nos tecidos não malignos que estão em volta dela”, explica. Entender o mecanismo, determinaria a maneira como os tumores se desenvolvem, completa ele. / Colaborou Felipe Oda

Consumo de ômega-3 durante gravidez reduz depressão pós-parto Consumption of omega-3 during pregnancy reduce postpartum depression

DA EFE

O consumo do ácido graxo ômega-3 --encontrado em peixes como o salmão-- durante a gravidez reduz o risco de depressão pós-parto, segundo um estudo de cientistas americanos publicado na terça-feira (12).

A doutora Michelle Price Judge, da Escola de Enfermagem da Universidade de Connecticut, demonstrou previamente que o consumo durante a gravidez do ácido docosahexaenoico (DHA), um ácido graxo poliinsaturado da série ômega-3, auxilia o desenvolvimento do bebê e quis saber o efeito que poderia ter na depressão pós-parto.

Para o novo estudo, analisou os hábitos alimentares de 52 mulheres grávidas que foram divididas em dois grupos. Metade tomou um placebo. Ao outro grupo foram administrados 300 miligramas de DHA, cinco dias por semana, entre as semanas 24 e 40 da gravidez, uma quantidade similar a meia porção de salmão.

Os especialistas acompanharam as mães e mediram sua situação emocional por meio de uma escala de depressão pós-parto realizada pela doutora Cheryl Beck, da Universidade de Connecticut e coautora do estudo.

Segundo outras pesquisas mencionadas pelos autores, aproximadamente 25% das mães sofrem deste tipo de depressão, que afeta as relações familiares e tem consequências no desenvolvimento afetivo da criança.

A análise dos dados indica que as mães que fizeram parte do grupo que consumiu pescado foram menos propensas a manifestar sintomas relacionados à ansiedade.

Durante o Congresso de Biologia Experimental 2011, realizado em Washington, Michelle e sua equipe assinalaram que seria necessário um estudo maior para entender o porquê e o alcance dos benefícios do ômega-3 para a saúde mental da mãe.

Ainda assim, foi recomendado o consumo de peixes ricos neste tipo de ácidos graxos entre dois e três dias por semana, já que são ricos em proteínas e minerais. Outros estudos destacaram o benefício para a saúde mental e a ajuda ao desenvolvimento cognitivo e visual das crianças.

Cirurgião tentou implantar coração de porco em paciente Surgeon tried to implant in patient heart pork

Mais que qualquer outro ramo da ciência, a história da medicina conta com personalidades inspiradoras e excêntricas e práticas assustadoras e engenhosas, dignas de dr. Frankenstein. Em 1969, Donald Longmore tentou implantar o coração e os pulmões de um porco em um paciente. Não estamos falando das cirurgias do século 19, isso aconteceu pouco tempo atrás.

Reprodução
Livro sobre história da medicina baseado no documentário homônimo da BBC
Volume baseado no documentário homônimo produzido pela rede BBC
Quem o condenaria? A anatomia do suíno é semelhante a do homem. Os porcos são usados como animais de experimentação para compreender a fisiologia humana.

Se você pode comer bacon, existe algum motivo ético para não aproveitar outras partes para salvar uma vida? A insulina, usada pelos diabéticos, pode ser extraída de bovinos e suínos.

A ideia poderia dar certo e revolucionar a ciência médica. Porém, o bicho corria mais que o cirurgião e seus ajudantes. Após uma longa perseguição, médico capturou o "doador", mas o paciente não aguentou a espera.

O lançamento "Sangue e Entranhas", do jornalista científico Richard Hollinghan, reúne diversos episódios do gênero. O texto --baseado no documentário homônimo da BBC-- é uma compilação de procedimentos estranhos que renderam alguns acertos heroicos e muitos erros desastrosos.

Micróbios poderão prevenir cáries e diminuir colesterol no futuro, diz estudo

DA EFE

Os micróbios que vivem em nosso organismo podem ser, no futuro, o principal ingrediente de uma pasta de dentes que ajudará a prevenir cáries ou de comprimidos para diminuir o colesterol, segundo um estudo publicado na quarta-feira pela revista americana "Science".

Os probióticos, como são denominados os alimentos, bebidas e suplementos dietéticos que contêm micróbios vivos procedentes do corpo humano, ajudarão em um futuro a diagnosticar e tratar doenças, e os complexos a base de bactérias serão objeto de receita em consultas médicas de todo o mundo.

É o prognóstico que fazem o cientista da Universidade de Stanford (Califórnia) J.L. Sonnenburg, e o da Universidade da Califórnia, M.A. Fischbach.

O estudo, intitulado "Saúde comunitária: oportunidades terapêuticas no microbioma humano", prevê um futuro no qual os probióticos serão desenvolvidos e modificados pelas companhias farmacêuticas e biotecnológicas e regulados pelo Escritório de Alimentos e Remédios (FDA) dos EUA.

Os autores do texto convidam a comunidade científica dar sequência ao estudo das propriedades beneficentes dos micróbios vivos para a flora intestinal, que atualmente é o objeto da maioria dos produtos com esses organismos, protagonizados pelos iogurtes que permitem a sobrevivência das bactérias.

"O conceito (dos probióticos) pode ser aplicado também a outras comunidades microbianas do corpo humano", indicam os pesquisadores.

"Os cremes para a pele e pastas de dentes do futuro poderão conter organismos vivos ou prebióticos que ajudem a tratar a dermatite atópica e prevenir cáries dentais", acrescentam.

Segundo Sonnenburg e Fischbach, os micróbios vivos não só ajudarão a tratar as disfunções e doenças, mas também a preveni-las.

"Os componentes microbianos dos sedimentos, a urina, o cuspe e as mucosidades atendem às duas virtudes de uma mostra diagnóstica: são fáceis de obter e sustentam uma quantidade de informação molecular relevante para as doenças", afirma o estudo.

Apesar de sua popularidade crescente, os produtos probióticos não foram até agora estudados com rigor e, nos EUA, não estão regulados pela FDA.

Embora pareçam ter um potencial claro como agentes terapêuticos, existem desafios no momento de estabelecer padrões claros que permitam uma pesquisa mais aprofundada, segundo adverte o estudo.

As influências "antinaturais" sobre o organismo, como o consumo de antibióticos ou a administração de vacinas, modificam e transformam a estrutura microbiana, que pode variar de pessoa para pessoa e de país para país.

"As diferenças marcadas entre os micróbios fecais de uma criança de Burkina Fasso e das crianças do norte da Itália dão uma ideia dos problemas de definir uma linha de base para a microbiota", aponta o estudo.

Isso transforma às comunidades microbianas dos humanos em um "alvo móvel", que impõe um desafio considerável no momento de definir o que é "normal" ou "saudável", concluem os autores.

Antibióticos - Farmácias ganham mais tempo para se adaptar às regras Antibiotics - Pharmacies gain more time to adapt to the rules in Brazil

A Anvisa decidiu ontem dar mais tempo para que as farmácias passem a registrar todas as suas vendas de antibióticos em um sistema informatizado controlado pelo órgão.

O prazo inicial para as farmácias se adaptarem às regras era 25 de abril. A nova data ainda não foi definida.

Na reunião de ontem, a diretoria da Anvisa também decidiu promover um painel internacional sobre os inibidores de apetite. A data e o local não foram divulgados.

Um parecer, apresentado pela chefe do Núcleo de Gestão do Sistema Nacional de Notificação e Investigação em Vigilância Sanitária, Maria Eugênia Cury, foi feito com base em estudos que indicam que devem ter o registro cancelado drogas com sibutramina, anfepramona, mazindol e o femproporex, pois causam elevado risco à saúde.

As discussões sobre a proibição de emagrecedores começaram no início do ano, quando a Anvisa fez audiência pública para debater o assunto. Boa parte da comunidade médica é contra a proibição.

Cérebro começa a encolher anos antes do diagnóstico de Alzheimer Brain begins to shrink year before the diagnosis of Alzheimer's

DA FRANCE PRESSE

Algumas partes do cérebro afetadas pelo Alzheimer começariam a encolher dez anos antes que a doença incurável pudesse ser diagnosticada, segundo um estudo publicado nesta quarta-feira nos Estados Unidos.

Embora se tratem ainda de resultados preliminares, os pesquisadores consideram que esta descoberta pode um dia permitir, com ajuda da ressonância magnética, determinar quais são as pessoas que apresentam maior risco de desenvolver a doença, às vezes hereditária.

Para a pesquisa, os médicos mediram com ressonância as zonas cerebrais geralmente afetadas pelo mal de Alzheimer de 64 pessoas sãs, sem problemas de memória ou outros sintomas de demência. Os especialistas acompanharam os pacientes por um período de entre sete e 11 anos.

Eles constataram que os sujeitos com menor espessura do córtex --substância cinza onde ficam os neurônios, essenciais às funções cognitivas, sensoriais e motoras-- tinham grandes chances de contrair a doença, em comparação aos outros que possuíam as mesmas partes cerebrais mais espessas.

Assim, no grupo de 11 participantes que tinham as zonas cerebrais estudadas mais modestas, 55% desenvolveram o mal de Alzheimer.

Por outro lado, nenhum paciente do grupo de nove pessoas com os maiores tamanhos dessas mesmas partes do cérebro sofreu com Alzheimer, destacaram os pesquisadores, cujo trabalho foi publicado na "Revista Neurology", uma publicação da Academia Americana de Neurologia.

No grupo dos indivíduos com um tamanho médio dessas regiões cerebrais, 20% contraiu o mal.

"Esses dados são um indicador potencialmente importante das primeiras mudanças relacionadas ao Alzheimer. Elas poderiam ajudar a prever quais são as pessoas com maior risco de sofrer desta doença e talvez também determinar quando o mal vai se manifestar", explica Bradford Dickerson da faculdade de medicina de Harvard (Massachusetts), principal autor do estudo.

Nova associação de drogas é promessa contra obesidade New combination of drugs is promise against obesity

Uma nova droga que combina uma substância anticonvulsiva e um derivado da anfetamina é a nova promessa da indústria farmacêutica para combater a obesidade.

O medicamento foi testado em um estudo com mais de 2.400 pessoas que apresentavam obesidade ou sobrepeso e que tinham pelo menos duas doenças associadas, como hipertensão e diabetes.

A pesquisa foi conduzida pela Universidade Duke, nos Estados Unidos, e financiada pelo laboratório Vivus. É esse laboratório que aguarda a aprovação do medicamento pela FDA (agência reguladora americana).

Os participantes foram divididos em três grupos e acompanhados durante 56 semanas.
No grupo que tomou a dose maior da droga, a perda de peso média foi de 9,8%. No grupo que tomou a dose menor, a média foi de 7,8%.

Já no grupo placebo, que só se submeteu a um programa de dieta, a média da perda de peso foi de 1,2%.

Os resultados foram publicados anteontem na edição virtual do periódico "Lancet".

Segundo endocrinologistas consultados, a medicação é a nova promessa no combate à obesidade. Mas, segundo o clínico-geral Paulo Olzon, da Unifesp, a droga pode causar dependência.


ARSENAL

O remédio é uma combinação de fentermina derivado da anfetamina que inibe o centro da fome no cérebro e topiramato um anticonvulsivo que atua na compulsão por comida.

Segundo o endocrinologista Alfredo Halpern, chefe do grupo de obesidade do Hospital das Clínicas, a associação das duas drogas é "uma excelente opção".

Além disso, diz ele, permite uma dosagem menor de fentermina do que a usada nos EUA, onde é liberada. "A vantagem é a sinergia. A dosagem pode ser baixa sem comprometer o resultado."

"Estamos desesperadamente procurando remédios para emagrecer, porque o arsenal contra obesidade é pequeno", diz o especialista.

Ricardo Meirelles, membro da Sociedade Brasileira de Endocrionologia e Metabologia, concorda.

"Emagrecedores que conseguem causar mais do que 5% de perda de peso são promissores. Esse beirou os 10%", afirma.

O cardiologista Raul Dias dos Santos, do InCor, afirma que a redução na pressão arterial é outro atrativo do tratamento e o torna superior a outros remédios emagrecedores já disponíveis.

"O uso de sibutramina [inibidor de apetite] tende a aumentar a pressão arterial e a incidência de derrames. Esse remédio fez o contrário."

Mas segundo Paulo Olzon, professor de clínica médica na Unifesp, existem falhas na metodologia do trabalho.

"O estudo não justifica os critérios que usou para determinar os efeitos colaterais", diz o professor.

REAÇÕES

Olzon afirma, também, que o remédio pode causar dependência. "A pessoa pode se condicionar psicologicamente a emagrecer só por meio do remédio."

Os efeitos colaterais já observados para essa associação de drogas incluem insônia, irritabilidade, depressão, dor de cabeça e tontura.

Sete dicas de especialistas para quem busca promoção no emprego Seven expert tips for those seeking promotion in the workplace

Competência técnica não é tudo; veja como ganhar reconhecimento profissional e crescer na carreira
Technical competence is not everything, see how to gain professional recognition and career growth
Conseguir uma promoção no trabalho não é um resultado apenas da competência técnica do profissional. É preciso se destacar por outros atributos, ser capaz de elaborar planos de ação, traçar metas. Além disso, o profissional precisa estar atualizado, participando frequentemente de cursos e outras atividades. E, principalmente, deve avaliar se tem habilidades para assumir a posição desejada.

Confira algumas dicas dadas pelos especialistas consultados pelo iG Carreiras para quem busca uma promoção:

1 – Avalie suas habilidades e competências

Faça uma autoanálise para identificar os resultados alcançados e o desenvolvimento de suas competências. “É importante que a pessoa faça um balanço daquilo que esperam dela e do que ela entrega. Este é o primeiro passo para uma promoção”, avalia Ana Carolina Mussio, analista de carreiras da Veris Faculdades.

A promoção não depende apenas da empresa e de resultados. Rossana Ercole, psicóloga e headhunter da Global Network, afirma que o profissional também deve analisar se está pronto para assumir maiores responsabilidades.

2 – Entenda como sua empresa funciona

Realize um diagnóstico da área para a qual quer ser promovido. “Dessa forma, o profissional poderá analisar os déficits e elaborar um plano de ação que mostre o que é preciso para aumentar os resultados”, sugere Monica Rossi, gerente administrativa da Crescimentum. “Automaticamente, ele ficará visível na empresa.”

Não basta só ser competente. “Tem muito mais a ver com atitude, e com o quanto você realmente conhece da empresa, do que o conhecimento técnico”, acrescenta Monica.

3 – Converse com seu gestor

Nem sempre o gestor está ciente de todos os méritos do seu funcionário. Rossana acredita que é importante mostrar que está preparado para assumir novas responsabilidades, falar dos resultados no trabalho e da sua vontade em avançar na carreira.

“Reuniões de feedback são, na maioria das vezes, ricas em dicas e objetivos a serem atingidos. Por isso, uma conversa com o gestor sobre os pontos a desenvolver trará foco no plano de ação do profissional”, avalia Ana Carolina. Segundo ela, se a empresa adota uma avaliação de desempenho e plano de carreira, fica mais fácil saber quais são as próximas etapas para se conseguir esse crescimento.

4 – Faça além do esperado

Ana Carolina destaca que para ser reconhecido profissionalmente é preciso mostrar que está pronto para ir mais longe. “Por exemplo, se há prazos estabelecidos, empenhe-se em entregar o que foi pedido com antecedência.”

5 – Fique visível

Quem é visto, é lembrado. Segundo Rossana, é preciso sempre manter boas relações com todos os profissionais da empresa, independentemente do nível hierárquico. “A rede de relacionamentos aumenta as chances de indicação quando aparece uma oportunidade.”

Ana Carolina acrescenta que é importante tentar tornar-se um influenciador das demais pessoas. “Ser multiplicador de boas práticas e incentivador de equipe chama atenção dos gestores.”

6 – Faça seu marketing pessoal

É importante lembrar que a imagem determina as primeiras impressões. Por isso, além das qualificações técnicas, o profissional também deve exercitar seu autoconhecimento para saber se está agindo de acordo com seu perfil, ter coerência nas suas ações e uma boa imagem pessoal.

O profissional também deve prestar atenção no modo como se veste. “Faz parte do marketing pessoal, que é fundamental para os negócios. É importante apresentar-se da melhor forma e mostrando ótimos resultados.” Segundo Rossana, vestir-se de forma inadequada pode causar má impressão e, consequentemente, contar como ponto negativo na escolha de quem receberá a promoção.

7 – Participe de cursos

É fundamental estar sempre atualizado, assistindo a palestras e fazendo cursos. “O profissional deve buscar ser especialista na sua área, identificar assuntos interessantes para sua função na empresa e saber novas ferramentas e outras línguas”, sugere Ana Carolina. “Ele precisa mostrar que está preparado para novos desafios.”

http://economia.ig.com.br/carreiras/sete+dicas+de+especialistas+para+quem+busca+promocao+no+emprego/n1300049457398.html

Comportamento pode ajudar a impulsionar a carreira Behavior can help boost career

Confira alguns perfis que as empresas buscam em seus profissionais
Check out some profiles that companies seek in their professional

Não basta ser tecnicamente competente. O comportamento de um profissional também o ajuda a impulsionar sua carreira. Assertivo, empreendedor, analítico, sociável, disciplinado, pró-ativo, coach, adaptável e inovador são algumas das características que as empresas buscam em seus profissionais.

Segundo Priscila Soares, diretora de recursos humanos da empresa de consultoria Trevisan, o profissional que tem uma ou mais dessas características costuma ter melhor desempenho e consegue se destacar na carreira. “Cursos e mentoring ajudam a desenvolver tais comportamentos.”

Confira alguns tipos de personalidade citados pelos especialistas consultados pelo iG Carreiras:

Assertivo: Tem como principal competência a autoconfiança. Segundo Barbara Palmero, diretora da Octuplos Desenvolvimento Humano, esse profissional é seguro para dizer o que pensa e quer, mesmo correndo o risco de dizer algo que incomoda. “Ele tem um bom domínio de si próprio e defende seus pontos de vista com respeito e clareza.”

Simone Viana, analista de recursos humanos e headhunter da Global Network, considera que as empresas valorizam esse perfil devido às constantes mudanças do mercado, que exigem decisões objetivas. “O profissional assertivo tem um comportamento maduro, que se adapta às realidades e diferentes tipos de personalidades, demonstrando respeito e sendo cooperativo e negociador. Sabe dizer sim, ou não, na hora certa.”

Empreendedor: Tem a capacidade de lidar com incertezas e de arriscar o presente em nome de uma possibilidade futura. “Esse perfil de profissional estimula o crescimento da empresa, dedica-se a transformar o negócio em um produto de sucesso, como se fosse o seu próprio. É vestir a camisa, trazer novas ideias, inovar. É de profissionais assim que as empresas precisam para alcançar novas metas”, ressalta Simone.

Analítico: Sua virtude é a capacidade de observar os fatos e a situação, apreendendo os detalhes e organizado as informações de maneira lógica. “A partir da sua percepção da realidade, esse profissional faz hipóteses com base lógica”, explica Barbara.

Segundo Simone, pessoas com essa personalidade são valorizadas principalmente em cargos de liderança, que exigem profissionais críticos e que tomem decisões certas.

Sociável: Dialoga e ouve diferentes públicos com facilidade. Priscila alerta que profissionais com essa característica devem tomar cuidado para não confundir esse comportamento com “camaradagem”. “Não se consegue nada por ser amigo da pessoa. O importante é ter um bom relacionamento com a equipe e um bom networking pessoal.”

Para Simone, ter um bom relacionamento é fundamental para as empresas, pois é o trabalho em equipe que une os esforços para superar as expectativas.

Disciplinado: Se baseia principalmente na determinação. Segundo Barbara, o mercado valoriza esse perfil por conta do seu comprometimento. “Ele ‘abraça a causa’ da empresa e esse tipo de dedicação faz toda a diferença.”

Priscila acha que esse tipo de profissional não dá preocupações para a empresa. “Consegue administrar seu tempo, recebendo e entregando a tarefa no prazo.”

Para Simone, é imprescindível que o profissional tenha concentração para evitar erros e executar as tarefas da melhor forma possível. Por isso, ser disciplinado significa conseguir atingir e superar as metas no prazo certo.

Multifuncional: Destaca-se por sua capacidade de aprendizagem e pela facilidade em transitar por diferentes papéis. “Esse profissional se modifica de acordo com a necessidade”, explica Barbara.

Os profissionais multifuncionais estão prontos para enfrentar qualquer tarefa, possuem diferentes habilidades e podem contribuir em áreas distintas na empresa. “Essas competências são canalizadas e utilizadas pelas empresas para gerar novos negócios. É um profissional completo, com experiência, conhecimento e expertise. Ao mesmo tempo em que lidera, sabe alinhar suas ações com as estratégias da empresa, aumentando as chances de sucesso”, detalha Simone.

Pró-ativo: Tem iniciativa e espírito empreendedor. “Esse é o profissional da geração Y, estratégico. Sempre pergunta o motivo do projeto, nada é mecânico. Está sempre buscando coisas novas. É um profissional dinâmico”, descreve Priscila. Por isso, todas as empresas buscam essas características em um contratado, diz ela.

Tomar decisões com inteligência e agilidade é essencial para as empresas, devido à alta competitividade do mercado. “O profissional deve ir além, fazer a diferença para a empresa e buscar novas soluções por iniciativa própria”, afirma Simone.

Coach: Tem atuação “política” e sabe ensinar os demais. Priscila afirma que profissionais com esse perfil possuem conhecimentos do negócio e conseguem ensinar seus colegas ou subordinados a realizarem as tarefas de determinada forma.

Adaptável: É político e tem a capacidade de analisar qual a dinâmica de trabalho naquela empresa. “Consegue se adaptar a diferentes equipes e climas organizacionais”, afirma Priscila. Geralmente esses profissionais também são considerados políticos, prudentes e observadores. “Analisam onde estão os erros e tomam iniciativas de mudanças para alcançar objetivos estratégicos.”

Profissionais assim não desistem na primeira dificuldade e estão prontos para trabalhar em diferentes situações, destaca Simone. “É isso que as empresas buscam.”