Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


domingo, 1 de maio de 2011

22 dicas para prevenir as lesões do trabalho: LER e DORT 22 tips to prevent injuries at work: RSI and DORT

Quem nunca ouviu falar nas LER lesões por esforços repetitivos ou nos DORT distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho? LER e DORT são síndromes que atacam os nervos, músculos e tendões, especialmente dos membros superiores e do pescoço. São síndromes degenerativas e cumulativas e sempre acompanhadas de dor ou incômodo, provenientes não somente da atividade ocupacional intensiva, mas também de atividades realizadas sob intenso estresse.

LER ou DORT?

O termo LER utilizado para denominar uma síndrome da atividade ocupacional excessiva, que abrange uma gama de condições caracterizadas por desconforto ou dor persistente nos músculos, tendões etc. Entretanto, sabidamente, nem todas as patologias estão relacionadas aos movimentos repetitivos, pois existem outros fatores biomecânicos causais como esforço físico proveniente de levantamento constante de peso , além dos fatores psicofísicos e sociológicos, que atuam sobre o problema.

"Infelizmente, o termo LER passou a ser utilizado de forma indistinta como nome de uma doença, porém, este é simplesmente uma denominação de um mecanismo de lesão e não pode ser utilizado como um diagnóstico", explica a engenheira Maria Aparecida Frediani Rocha, especialista em Ergonomia e consultora da Vendrame Consultores Associados.

Por tais razões, estudiosos recomendaram que este termo fosse abandonado e se passasse a usar o termo DORT Distúrbios Osteosmusculares Relacionados ao Trabalho, pois numa primeira fase ocorrem os distúrbios, com sintomas como fadiga, peso e dor nos membros e somente depois aparecem as lesões.

Em geral, qualquer trabalhador pode estar sujeito aos DORT. Percebemos que quem sofre muita pressão psicológica no trabalho está predisposto ao desconforto ou dor persistente nos músculos, tendões e outras partes do corpo. Com tratamento adequado, muitas das condições da síndrome são reversíveis , comenta.

Prevenção é o melhor remédio

A ergonomia é a ciência que visa a adaptar as condições de trabalho às características do trabalhador. As posturas inadequadas, que advém de um posto de trabalho mal dimensionado, ou que não se ajuste às variações antropométricas de cada indivíduo, e os movimentos repetitivos são alguns dos fatores que mais predispõem o aparecimento das LER/DORT. No entanto, não se deve esquecer da organização do trabalho, que eventualmente pode estar por trás desta patologia. Os ritmos excessivos, a postura rígida, a ausência de pausas, a pouca liberdade do trabalhador, além da pressão pelos superiores, são contribuições para o surgimento das LER/DORT. A título de exemplo, num posto de trabalho com computador, devem ser observados os seguintes aspectos:

Veja como regular sua estação de trabalho

Cadeira:
1 - A altura ideal deve ser de 48 a 58cm
2 - O encosto deve estar a 110° do assento
3 - A cadeira deve ter apoio para a região lombar e dorsal;
4 - Os pés devem ter contato completo com o chão ou apoiados em suporte específico
5 - As coxas devem ficar paralelas ao piso
6 - O trabalhador deve estar próximo da superfície de trabalho
7 - Os braços devem ficar apoiados

Monitor:
8 - A altura ideal da 1ª linha escrita deve ser de 155cm
9 - A tela deve estar ao nível do horizonte ou levemente abaixo
10 - O trabalhador deve localizar-se bem em frente ao monitor
11 - A iluminação deve ser adequada
12 - Use filtro no caso de brilho excessivo
13 - A distância adequada é de 60 cm entre a pessoa e a tela do computador

Teclado e mouse:
14 - A altura ideal deve ser de 110cm
15 - Eles devem localizar-se próximos e na frente de quem vai usá-lo 16 - Os cotovelos devem permanecer em ângulo de 90°
17 - Os punhos precisam permanecer retos

Dicas preventivas:
18 - Realize pequenas pausas rápidas em qualquer atividade que se exerça repetitividade excessiva ou em postura inadequada por tempo prolongado. Intervalos breves e freqüentes são mais eficazes para a recuperação do que um período de descanso igual, tomado de uma só vez.
19 - Durante essas pausas faça alguns alongamentos para as áreas de seu corpo que estiverem executando a tarefa.
20 - Cuide para sempre permanecer com uma boa postura, incluindo a adequação do seu posto de trabalho de acordo com as características físicas e com sua atividade
21 - Não realizar força nem pressão exageradas, repetitivas ou freqüentes em sua atividade
22 - As LER/DORT são curáveis, principalmente nos primeiros estágios. Portanto, procure ajuda.


Who ever heard of the RSI repetitive strain injuries or MSDs work-related musculoskeletal disorders? DORT LER and are syndromes that attack the nerves, muscles and tendons, especially the upper limbs and neck. Degenerative syndromes and are cumulative and always accompanied by pain or discomfort, not only from intensive occupational activity, but also to activities carried out under intense stress.

RSI or WMSDs?

The term used to describe a READ syndrome of excessive occupational activity, which covers a range of conditions characterized by discomfort or persistent pain in muscles, tendons, etc.. However, admittedly, not all diseases are related to repetitive movements, because there are other biomechanical factors as causal physical exertion from lifting constant weight, in addition to psychophysical and sociological factors that act on the problem.

"Unfortunately, the term RSI has been used interchangeably as the name of a disease, but this is simply a description of a mechanism of injury and can not be used as a diagnosis," said engineer Maria Aparecida Rocha Frediani, expert ergonomics consultant Vendrame and Associated Consultants.

For these reasons, scholars have recommended that this term was abandoned and was passed to use the term DORT Work Related Disorders Osteosmusculares as a first phase occurring disorders, with symptoms such as fatigue, weight and limb pain and only after the lesions appear.

In general, any employee may be subject to the RSI. We realize that many who suffer psychological pressure at work is prone to discomfort or persistent pain in muscles, tendons and other body parts. With proper treatment, many of the conditions of the syndrome are reversible, he says.

Prevention is the best medicine

Ergonomics is the science that seeks to adapt working conditions to the characteristics of the worker. The postures, which comes from a job poorly scaled, or who do not fit the anthropometric variations of each individual, and the repetitive movements are among the factors that predispose the onset of RSI. However, one should not forget the organization of work, which eventually could be behind this pathology. The rhythms excessive, rigid posture, lack of breaks, the little freedom of the worker, along with pressure by superiors, are contributions to the development of RSI. For example, a workstation with computer, must be determined as follows:

Here's how to adjust your workstation

Chair:
1 - The ideal height should be 48 to 58cm
2 - The back should be 110 ° Seat
3 - The chair should have support for the lumbar and dorsal;
4 - The feet should have full contact with the ground or supported specific support
5 - The thighs should be parallel to the floor
6 - The worker must be close to work surface
7 - Your arms should be supported

Monitor:
8 - The ideal height of the 1st line should be written 155cm
9 - The screen should be level or slightly below the horizon
10 - The worker must be located in front of the monitor
11 - Lighting should be adequate
12 - Use filter in case of excessive glare
13 - The proper distance is 60 cm between the person and the computer screen

Keyboard and mouse:
14 - The ideal height should be 110cm
15 - They should be located near and in front of those who will use it 16 - The elbows should remain at 90 °
17 - The wrists must remain upright

Preventive tips:
18 - Make quick stopovers in any activity that is exerted excessive repetition or inappropriate posture for long periods. Frequent short breaks are more effective for recovery than an equal period of rest, taken at once.
19 - During these breaks to do some stretching to areas of your body that are performing the task.
20 - Take care to always stand with good posture, including the adequacy of their workplace according to their physical characteristics and activity
21 - Do not perform under pressure or excessive, repetitive or frequent activity in your
22 - The RSI are curable, especially in the early stages. So look for help.

Pressão alta sem tratamento ataca cérebro e causa cegueira Untreated high blood pressure attacks the brain and causes blindness

Doença sem sintomas diminui expectativa de vida em mais de 15 anos

A pressão alta ainda parece um enigma para muita gente, inclusive para os médicos. Isso acontece porque a doença só apresenta sintomas quando chega em um nível muito grave, que pode comprometer vários órgãos do corpo. Ela também não apresenta causa definida em 95% dos pacientes, o que faz os especialistas serem obrigados a focarem na prevenção.

Segundo pesquisa do Ministério da Saúde, 23,3% da população sofre com a doença, dado que tem aumentado ao longo dos anos e tem preocupados os médicos. De acordo com Marcus Malachias, presidente da divisão de hipertensão da Sociedade Brasileira de Cardiologia, a pressão alta tem o poder de reduzir em até 16 anos e meio a expectativa de vida do doente.

A hipertensão ocorre quando há uma elevação anormal da pressão, ou seja, quando as paredes das artérias oferecem resistência para a passagem do sangue. Portanto, o líquido bombeado pelo coração para irrigar os órgãos terá de exercer uma força (pressão) ainda maior contra a parede das artérias.

Esse descompasso se torna perigoso porque carrega com ele sérias complicações à saúde, que podem desencadear um derrame, insuficiência cardíaca e renal e até mesmo cegueira porque atinge as artérias como um todo, explica Frida Plavinik, conselheira da Sociedade Brasileira de Hipertensão.

- A hipertensão estraga as artérias como um todo. Quando a pressão é aumentada, as artérias do cérebro ficam mais enrijecidas, podendo causar um AVC. E até as artérias da retina sofrem podendo causar uma saída de líquido que faz a pessoa perder a visão em casos agudos.

Fatores como tabagismo, obesidade e sedentarismo aumentam as chances de uma pessoa se tornar hipertensa, independente da idade. Por isso, os especialistas indicam atividades físicas, boa alimentação, evitando alimentos ricos em sal, e evitar o fumo e bebidas alcoólicas.

- A pessoa obesa ou fumante pode ter uma deposição de placas nas artérias coronarianas que vão impedir a oxigenação do músculo cardíaco, provocando o infarto. Antes disso, ela já terá um músculo cardíaco mais fraco, que perdeu a capacidade de bombear sangue com o tempo, causando assim a insuficiência cardíaca.

Nestes casos, a atividade física ajuda na dilatação dos vasos e contribui naturalmente na perda de peso, diz Frida. A perda de peso, em especial da barriga, é essencial nesse processo, porque é o tecido gorduroso da região que libera hormônios e substâncias que fazem a pressão subir, orienta a médica.

Saiba mais sobre a doença e como se prevenir abaixo.


Disease without symptoms, reduces life expectancy by more than 15 years

High blood pressure still seems a puzzle to many people, including doctors. This happens because the disease has symptoms only when they arrive in a very severe disease that can affect several organs of the body. It also features no definite cause in 95% of patients, which makes the experts are forced to focus on prevention.

According to research from the Ministry of Health, 23.3% of the population suffers from the disease, as it has grown over the years and has doctors worried. According to Marcus Malachias, president of the division of hypertension at the Brazilian Society of Cardiology, high blood pressure has the power to reduce up to 16 years and half the life expectancy of the patient.

Hypertension occurs when there is an abnormal elevation of pressure, ie, when the walls of arteries are resistant to the passage of blood. Therefore, the liquid pumped by the heart to water bodies will have to exert a force (pressure) further against the artery walls.

This mismatch becomes dangerous because it carries with it serious health complications, which can trigger a stroke, heart failure and kidney failure and even blindness because it affects the arteries as a whole, explains Frida Plavinik, advisor of the Brazilian Society of Hypertension.

- High blood spoils the arteries as a whole. When the pressure is increased, the arteries of the brain become more stiff and can cause a stroke. And even the retinal arteries may cause suffering an outflow of liquid that makes a person lose vision in acute cases.

Factors such as smoking, obesity and inactivity increase the chances of someone becoming hypertensive, regardless of age. Therefore, experts suggest physical activity, good diet, avoiding foods high in salt, and avoid smoking and alcoholic beverages.

- A smoker or obese person can have a deposition of plaque in coronary arteries that will prevent the oxygenation of the heart muscle, causing infarction. Before that, she will have a weak heart muscle, which lost the ability to pump blood with time, thus causing heart failure.

In these cases, physical activity helps the dilation of blood vessels and helps in losing weight naturally, says Frida. Weight loss, especially the belly, is essential in this process because it is the fatty tissue in the region that releases hormones and substances that make up the pressure, the doctor guides.

Válvula de tecido humano é eficaz em cirurgia de coração Valve tissue is effective in heart surgery

Pesquisadores da PUC do Paraná desenvolveram uma técnica para diminuir o risco de rejeição em transplantes de válvulas cardíacas.

Essas cirurgias são necessárias quando há alguma doença que prejudica o bombeamento do sangue, levando à insuficiência do órgão.

Hoje, para corrigir a falha, são usadas peças de metal ou feitas de tecido animal (de porco ou de boi).

Na nova técnica, são implantadas válvulas de doadores humanos mortos, processadas em uma solução que retira as células e deixa apenas fibras de colágeno e fibras elásticas.

Esse enxerto é muito mais seguro e dura mais tempo, diz o cirurgião Francisco Diniz da Costa, da PUC-PR. "Quem coloca uma válvula de metal precisa tomar medicamento anticoagulante pelo resto da vida. Em dez anos, 25% dos pacientes têm alguma complicação."

As próteses de animais perdem a função com o tempo. Isso leva a novas operações.

A técnica já foi aplicada em 200 pacientes da Santa Casa de Curitiba. O acompanhamento de 41 deles, por cinco anos, rendeu um artigo publicado no "Annals of Thoracic Surgery".

No estudo, os autores concluem que os resultados iniciais são promissores, mas que é necessário mais tempo de acompanhamento.


CRIANÇAS

Algumas doenças que causam problemas nas válvulas cardíacas são febre reumática, artrite reumatoide e malformações congênitas, que afetam crianças.

São elas que mais se beneficiam com os implantes de tecido humano.

"Não tem como usar válvula de metal em criança, e a de animal se calcifica, porque o metabolismo do cálcio em crianças é muito acelerado", afirma Pablo Pomerantzeff, cirurgião cardíaco do Hospital das Clínicas de SP.

Uma válvula implantada em crianças, em geral, dura menos de cinco anos. Já a válvula de tecido humano processado é "repovoada" por células do paciente. Em cinco anos de estudo, nenhuma se calcificou.

O cirurgião cardíaco José Pedro da Silva, da Beneficência Portuguesa de São Paulo, usa as válvulas do grupo paranaense em crianças.

"Fizemos pelo menos três cirurgias. Com os resultados que temos, já posso dizer que é melhor que as outras alternativas. Precisamos de mais tempo para saber o quanto é melhor."

TECNOLOGIA SERÁ EXPORTADA

Neste mês, a PUC-PR firmou um acordo com uma empresa inglesa, a Tissue Regenix, que levará a tecnologia de processamento das válvulas humanas para a Europa.

A empresa pretende comercializar a tecnologia em vários países, menos por aqui, onde as válvulas não podem ser vendidas ""só o processamento é cobrado.

O banco de válvulas de Curitiba, que fica na Santa Casa, é o único do Brasil autorizado pelo Ministério da Saúde. O centro recebe corações de 18 Estados do país e distribui as válvulas.

Além das estruturas sem células, o banco também distribui válvulas congeladas.

Por ano, são feitas cerca de 20 mil cirurgias desse tipo no Brasil, segundo o cirurgião Francisco Costa. A maioria usa tecido animal (de porco ou de boi).

Uma parte ainda usa válvulas mecânicas e 3% usa enxertos humanos congelados.


Researchers at the Catholic University of Parana developed a technique to reduce the risk of rejection in transplants of heart valves.

These surgeries are needed when a disease that damages the blood pumping, leading to organ failure.

Today, to correct the fault, metal parts are used or made from animal tissue (pork or beef).

In the new technique, valves are implanted dead human donors, processed in a solution that removes the cells and leaves only collagen fibers and elastic fibers.

This graft is much safer and lasts longer, tell the surgeon Francisco Diniz da Costa, PUC-PR. "Who puts a metal valve must take anticoagulant medication for life. In ten years, 25% of patients have some complications."

The prostheses of animals lose function over time. This leads to new business.

The technique has been applied in 200 patients of the Santa Casa de Curitiba. The monitoring of 41 of them for five years, earned an article published in the Annals of Thoracic Surgery.

In the study, the authors conclude that the initial results are promising, but that more time is needed for monitoring.

CHILDREN

Some diseases that cause heart valve problems are rheumatic fever, rheumatoid arthritis and congenital malformations, which affect children.

It is they who benefit most from implants of human tissue.

"You can not use metal valve in a child, and the animal is calcified, because the calcium metabolism in children is very fast," said Pablo Pomerantzeff, cardiac surgeon at University Hospital of SP.

A valve implanted in children, usually lasts less than five years. Since the valve tissue is processed "repopulated" by the patient's cells. In five years of study, none has calcified.

The cardiac surgeon José Pedro da Silva, the Portuguese Charity of St. Paul, using the valves on the Parana in children.

"We have at least three surgeries. With the results we have, I can already say that it is better than other alternatives. We need more time to learn how much is better."

TECHNOLOGY WILL BE EXPORTED

This month, the PUC-PR has signed an agreement with a British company, Tissue Regenix, leading process technology of human valves for Europe.

The company plans to commercialize the technology in several countries, at least here, where the valves can not be sold "only processing is charged.

The valve seat of Curitiba, located in the Santa Casa, Brazil is the only one authorized by the Ministry of Health center receives the hearts of the country's 18 states and distributes valves.

Besides the cell-free structures, the bank also distributes frozen valves.

For years, are made about 20 000 surgeries of this kind in Brazil, according to the surgeon Francisco Costa. Most use animal tissue (pork or beef).

One part still uses mechanical valves and 3% use frozen human grafts.

Mais de 6,4 milhões já receberam vacina contra a gripe no país More than 6.4 million have received flu vaccine in Brazil

Balanço parcial da campanha nacional de vacinação contra a gripe aponta que mais de 6,4 milhões de pessoas receberam a dose em todo o país até as 17h10 deste sábado.

Os 6.470.896 de vacinados representam cerca de 22% do público-alvo da campanha, 30 milhões de pessoas. A meta do Ministério da Saúde é vacinar 80% dessa população (cerca de 24 milhões de pessoas) até o dia 13 de maio.

As informações foram repassados ao ministério pelas secretarias estaduais e municipais de Saúde e serão consolidadas na próxima segunda-feira (2).


Este ano, pela primeira vez desde 1999, a campanha passou a incluir crianças de seis meses a menores de dois anos (1 ano 11 meses e 29 dias), gestantes em qualquer período da gravidez e trabalhadores da área da saúde. Além desses três grupos, serão vacinados os idosos e indígenas.

A população-alvo deve procurar um dos 33 mil postos de vacinação até o dia 13. Neste sábado, "Dia D" da campanha, 65 mil ficaram abertos. Durante a campanha, são mobilizados mais de 240 mil profissionais de saúde.

A vacina protege contra os três principais vírus que circularam no hemisfério Sul em 2010, entre eles o da influenza A (H1N1) --a gripe suína.

A única contraindicação da vacina é para as pessoas com alergia severa à proteína do ovo ou a doses anteriores da vacina. Na dúvida, um médico deve ser consultado. O mesmo vale para pessoas com sintomas de gripe, que devem ser tratadas antes de se vacinar.

SEGURA

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, disse hoje que a campanha contra a gripe, que está na 13ª edição, foi responsável pela redução em 60% dos casos de pneumonia no país.

Padilha afirmou que a inclusão de grupos específicos --como indígenas, grávidas e crianças de seis meses a dois anos-- tem o objetivo de atingir a sociedade como um todo.

"A estratégia é proteger quem mais precisa de cuidados", disse o ministro.

Padilha ressaltou que 90% das vacinas utilizadas na campanha são de fabricação nacional, numa pareceria do Ministério da Saúde com o Instituto Butantan, de São Paulo. "Isso garante que a gente possa ter acesso a toda a população brasileira. Não precisamos ficar dependendo de outros países."

O ministro afirmou que a vacina usada no Brasil é totalmente segura. "Ela é extremamente segura, tanto é que a própria presidenta da República [Dilma Rousseff] tomou a vacina na segunda-feira [25]", afirmou.


Balance part of the national campaign of vaccination against influenza shows that more than 6.4 million people received the dose throughout the country until 17.10 on Saturday.

The vaccinated 6,470,896 representing approximately 22% of the target audience of the campaign, 30 million people. The goal of the Ministry of Health is to vaccinate 80% of the population (about 24 million) until May 13.

The information was passed on to the ministry by the state and municipal departments of Health and will be consolidated next Monday (2).

This year for the first time since 1999, the campaign has included children younger than six months to two years (1 year 11 months and 29 days), pregnant at any stage of pregnancy and health care workers. In addition to these three groups will be vaccinated and indigenous elders.

The target population must contact one of 33,000 vaccination posts until day 13. On Saturday, "D-Day" campaign, 65 000 remained open. During the campaign, are mobilized more than 240,000 health professionals.

The vaccine protects against the three main viruses that circulated in the southern hemisphere in 2010, including the influenza A (H1N1) - the flu.

The only contraindication to the vaccine is for people with severe allergy to egg protein or prior doses of vaccine. When in doubt, a physician should be consulted. The same applies to persons with flu symptoms, which must be treated before being vaccinated.

SAFE

Health Minister, Alexander Padilla, said today that the campaign against the flu, which is in its 13th edition, was responsible for the reduction in 60% of pneumonia cases in the country.

Padilla said the inclusion of specific groups - such as indigenous people, pregnant women and children from six months to two years - is intended to affect society as a whole.

"The strategy is to protect those who need more care," said the minister.

Padilla said that 90% of the vaccines used in the campaign are manufactured here, would seem a Ministry of Health with the Institute Butantan, São Paulo. "This ensures that we can have access to the entire population. We need not be depending on other countries."

The minister said the vaccine used in Brazil is totally secure. "It is extremely safe, so much so that the very President of the Republic [Rousseff] took the vaccine on Monday [25]," he said.

Saúde bloqueia R$ 6,5 mi de repasses para 242 municípios

O Ministério da Saúde bloqueou o repasse de R$ 6,5 milhões de recursos destinados a ações de vigilância e promoção da saúde em 242 cidades do país (veja abaixo).

Uma parte do bloqueio ocorreu devido a irregularidades na alimentação do Sistema de Informação de Mortalidade (SIM) e do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinam). Eles são usados pelo governo para monitorar as condições do sistema de saúde e na definição de políticas.

Portaria publicada no "Diário Oficial da União" de quarta-feira (27) suspendeu a transferência de R$ 4,8 milhões para 134 municípios. Por terem aderido ao Pacto pela Saúde, em 2006, esses municípios devem manter os sistemas atualizados, sob pena de terem o repasse de verbas suspenso até regularizarem a situação.

Se a atualização for feita em até 90 dias, as cidades voltam a receber os recursos. Caso demore mais de 90 dias, é feito apenas o desbloqueio, sem transferência retroativa dos valores não repassados.

Outra portaria, publicada na segunda-feira (25), suspendeu a transferência de recursos para 108 municípios que não aderiram ao pacto de 2006.

O motivo foi que as prefeituras não comprovaram a aplicação dos recursos transferidos anteriormente. As cidades têm até 90 dias para apresentar ao ministério justificativa da utilização de pelo menos 60% do valor em conta.

O Estado com o maior número de municípios atingidos com as medidas é o Rio Grande do Sul, que teve 69 cidades com repasses bloqueados --28% do total. Em seguida estão Minas Gerais, com 24, e Pará e Piauí, com 22 cada um.

Listagem completa da portaria em: