Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


quinta-feira, 16 de junho de 2011

Remédios específicos para cada tipo de câncer são desafios para Medicina



Uma bala de canhão para acertar uma mosca. É mais ou menos assim que funcionam os remédios tradicionais usados em quimioterapia para tratar os mais diversos tumores. Além de destruir as células cancerosas, a droga deixa o organismo arrasado o que explica o enorme leque de efeitos colaterais.

Por isso a Medicina tem buscado incansavelmente remédios mais específicos, capazes de atingir o alvo sem destruir as células saudáveis. E os progressos nesse campo são grandes. Hoje há drogas para tumores de mama, pulmão e linfoma, por exemplo, que agem de forma inteligente.

Estes medicamentos são em geral anticorpos contra estruturas celulares conhecidas por estarem associadas ao desenvolvimento de células neoplásicas , explica o oncologista clínico André Sasse, de Campinas, no interior paulista. Ou seja, atacam somente as células do tumor.

Uma das grandes dificuldades de lutar contra o câncer é que o mesmo tumor pode se manifestar de forma diferente em pacientes diferentes e cada um reage de um jeito ao tratamento. Por isso é tão difícil desenvolver remédios que se apliquem a todos os casos com a mesma eficácia.

Por isso a grande maioria dessas drogas promissoras ainda não está disponível para tratamento. Há muitas em estudo, pois é necessário estabelecer ao certo a segurança e a eficácia de cada um dos medicamentos , explica André Sasse. Mas os pesquisadores parecem ter poucas dúvidas quanto ao caminho a seguir na guerra contra o câncer.

Higiene íntima na praia

assista o vídeo:
http://video.msn.com/?mkt=pt-br&from=sp&fg=shareObject&vid=1666f737-fdac-417c-8fbf-f21be19a6a75&src=FLCP:sharebar:permalink:null

Causas da retenção de líquidos

assista o vídeo:
http://video.msn.com/?mkt=pt-br&from=sp&fg=shareObject&vid=1666f737-fdac-417c-8fbf-f21be19a6a75&src=FLCP:sharebar:permalink:null

Alívio para queimadura de sol

assista o vídeo:
http://video.msn.com/?mkt=pt-br&from=sp&fg=shareObject&vid=1666f737-fdac-417c-8fbf-f21be19a6a75&src=FLCP:sharebar:permalink:null

O que é endometriose?

assista o vídeo:
http://video.msn.com/?mkt=pt-br&from=sp&fg=shareObject&vid=1666f737-fdac-417c-8fbf-f21be19a6a75&src=FLCP:sharebar:permalink:null

Perda da libido

assista ao vídeo:
http://video.msn.com/?mkt=pt-br&from=sp&fg=shareObject&vid=1666f737-fdac-417c-8fbf-f21be19a6a75&src=FLCP:sharebar:permalink:null

Cancer no útero

assista o vídeo:
http://video.msn.com/?mkt=pt-br&from=sp&fg=shareObject&vid=1666f737-fdac-417c-8fbf-f21be19a6a75&src=FLCP:sharebar:permalink:null

Visita ao ginecologista

assista o vídeo:
http://video.msn.com/?mkt=pt-br&from=sp&fg=shareObject&vid=1666f737-fdac-417c-8fbf-f21be19a6a75&src=FLCP:sharebar:permalink:null

Consulta ao cardiologista

assista o vídeo:
http://video.msn.com/?mkt=pt-br&from=sp&fg=shareObject&vid=1666f737-fdac-417c-8fbf-f21be19a6a75&src=FLCP:sharebar:permalink:null

Hábitos ruins ao coração

assista o vídeo:
http://video.msn.com/?mkt=pt-br&from=sp&fg=shareObject&vid=1666f737-fdac-417c-8fbf-f21be19a6a75&src=FLCP:sharebar:permalink:null

Hábitos ruins ao coração

assita o vídeo:
http://video.msn.com/?mkt=pt-br&from=sp&fg=shareObject&vid=1666f737-fdac-417c-8fbf-f21be19a6a75&src=FLCP:sharebar:permalink:null

Exames para o coração

assista o vídeo:
http://video.msn.com/?mkt=pt-br&from=sp&fg=shareObject&vid=1666f737-fdac-417c-8fbf-f21be19a6a75&src=FLCP:sharebar:permalink:null

Azia e queimação - Vídeo

assista:
http://vidasaudavel.powerminas.com/category/plantas-medicinais/

Remédios antigos - Xarope Roche

Plantas medicinais – problemas comuns da vida moderna


Diabetes

Problema metabólico causado por deficiência de insulina. Toda a alimentação que contenha açúcar deve ser abolida, bem como carboidratos e gordura. É necessário o acompanhamento nutricional de especialista.
É necessário ter atividade física, como caminhadas diárias, dança, ginástica.
Consumir maracujá, pois todo o fruto é eficiente no controle da diabetes. A casca torrada e triturada pode ser consumida com sucos, chás ou misturada a toda sorte de alimentos. A polpa pode ser consumida por inteiro, inclusive as sementes.

Chás de infusão - abrunheiro, bardana, carqueja-amarga, dente-de-leão, folhas e sementes de erva-pombinha, de folhas de nogueira, sementes da laranja, das folhas do limoeiro e do pessegueiro, macela, da casca e folhas de romã, sabugueiro, das flores da urtiga-branca, urtiga-vermelha, absinto.
Chás de cozimento - carqueja, casca de cedro, raiz de jambo, tremoço.

Colesterol

Chás de infusão - alcachofra, alecrim, camomila, chapéu-de-couro ou chá-mineiro, melissa, congonha-de-bugre, sálvia.
Evitar o consumo de alimentos com gordura animal, farinhas e açúcar. Dar preferência a frutas, verduras e grãos integrais.
Consumir alho in natura. Manter abstenção alcoólica. Recomenda-se exercícios físicos regulares.

Hipertensão arterial

Popularmente conhecida como pressão alta, é a pressão que o sangue exerce sobre as paredes dos vasos sanguíneos.
Chás de infusão - alecrim, arnica, folhas de chuchu, dente-de-leão, erva-de-bugre, erva-mate, raiz de escorzoneira, flor de espinheiro-alvar, folhas de estévia, guariroba, folhas de pitangueira, salsa, folhas de damasco.
Suco – de limão, adoçar com mel.
Tintura - arnica, folhas de oliveira.
Alimentação sem ou com pouco sal, abusar de frutas e verduras. Evitar gorduras e frituras. Ter por hábito o exercício físico regular.

Insônia

Chás de infusão - anis, cordão-de-frade, endro, erva-doce, erva-cidreira, erva-de-santa-maria, malva, folhas de maracujá, folhas de macieira, macela, melissa, mil-em-rama, poejo, tília, raiz de valeriana, folhas de laranjeira.
Banhos - de assento quentes e frios.
Suco - fruta inteira do maracujá, limão. Adoçar com mel.
Recomenda-se uma alimentação leve antes de dormir. Procure dormir sempre no mesmo horário. Praticar exercícios físicos diariamente.

Varizes

Chás de infusão - artemísia, hamamélis, azedinho, cavalinha, erva-cidreira, dente-de-leão, erva-de-bicho, erva-de-santa-maria, marmelo, macela.
Chás de cozimento - de raiz de bardana.
Cataplasmas - ferver ramos e casca da castanheira e aplicar diretamente nas varizes. Aplicar a folha da bananeira untada de azeite. Aplicar urtiga mergulhada em água fervente e amassada.
Banhos - mergulhar as pernas em chá de cipestre ou chá das folhas de araçá.

Dor de cabeça

Chás de infusão - das folhas de abacateiro ou da laranjeira, folhas e flores do absinto, alquemila, ásaro, betônica, cipó timbó, cravo, cumaru, flores secas de esponjeiro, erva cidreira, fruta-do-lobo, folhas de fruta-do-conde, melissa.
Chás de cozimento - semente de dama-entre-verdes, erva-de-são-pedro.
Cataplasmas - da polpa madura do coité, batata cortada em rodelas aplicadas sobre a testa.

Angústia, estado afetivo e de tensão interna que dá a sensação de inquietude e sofrimento.

Chás de infusão – calaminta, cidrão, erva-cidreira, camomila, estévia, estáquida, melissa, parnássia, raiz de valeriana.


Fadiga, constante estado de canseira por excesso de trabalho, doenças ou emoções

Chás de infusão - alecrim, alfavaca, alfazema, estévia, louro, sálvia, camomila.
Chás de cozimento - sementes de abrótano, raiz de mil-folhas, verônica.
Banhos - em serpilho ou tília escaldados.
Consumir – caldo de cana-de-açúcar, nozes, amendoim, frutos do cacau in natura, alho, cebola, alfavaca.

Depressão

Estado de desânimo ou excitação excessiva, alteração do estado emocional para triteza ou satisfação excessiva. Insônia ou sono constante.
O tratamento da depressão inclui, além do profissional médico, as plantas e a adoção de um estilo de vida que muitas vezes significa mudanças profundas. Neste último, a interação com a natureza é um dos caminhos que facilita o tratamento.
Chás de infusão - alecrim, sementes de guaraná, folhas de hipérico, folhas de sálvia, folha de marroio negro, raiz de cava-cava, folhas de frutas cítricas.
Consumir - qualquer fruta cítrica, como damasco, morango etc.

Debilidade – fraqueza

Pessoa convalescente após enfermidade ou estado depressivo.
Consumir - agrião, rúcula, alfavaca, semente de girassol, nozes, amendoim, damasco.
Chás de infusão - alfavaca, pariparoba, folhas de pastinaga.

Teste: Risco de Desenvolver Mal de Alzheimer

acesse e descubra:
http://sitededicas.uol.com.br/saude_alzheimer.htm

Sais minerais – Selênio


Fontes de selênio - Os cereais, o peixe e as miudezas

Ação do selênio - Protege as membranas celulares

Está presente em todos os tecidos do nosso organismo, onde aparece ligado geralmente a estruturas proteicas. Participa nas numerosas reações que servem para proteger as membranas celulares dos efeitos nocivos das substâncias oxidantes. A vitamina E intervém em algumas destas reações.

Parece que uma carência em selênio favorece o aparecimento de cardiopatias e de tumores mas, infelizmente, os dados são ainda insuficientes para permitirem aplicações.

O teor em selênio dos alimentos varia muito consoante as zonas geográficas, dependendo da taxa de selênio contido no solo.

Os cereais, o peixe e as miudezas são bastante ricos em selênio. Encontra-se mesmo na água, mas sempre de forma variável segundo os locais.

O pouco conhecimento que temos sobre o metabolismo do selênio não nos permite, de momento, recomendar as quantidades. Mas investigações muito recentes aconselham doses abaixo de 1 mg.

Doces muito fortes de selênio (acima de 1 mg) podem ser tóxicas.

Centros de Medicare ampliam programa de prevenção

Os Centros de Serviços de Medicare e Medicaid (CMS) estão ampliando a política Medicare gratuita do programa de prevenção da Medicaid. E estão solicitando que as organizações médico-hospitalares tenham em mente que a política pode incluir conseqüências inesperadas. As informações são do site Medical, dos EUA.

Segundo o administrador de CMs Donald M. Berwick, essas medidas irão encorajar os profissionais de saúde a reduzir as infecções hospitalares e eliminar os erros médicos. E ressalta que com a redução desses problemas, irá melhorar o atendimento aos pacientes, juntamente com a redução de custos.

No dia 1º de junho, foi emitida uma regra final que implanta uma política de Medicaid gratuita para 10 tipos de procedimentos hospitalares e outras doenças consideradas possíveis de serem prevenidas.

Segundo a publicação, o modelo do Madicare não afeta o pagamento para tratar diagnósticos primários e não altera o pagamento dos médicos.

A reforma na lei nacional de saúde exige que a secretaria de Saúde implante uma política de Medicaid que limite o pagamento por condições de saúde e doenças preventivas até 01º de julho. No entanto, os CMS relataram que estão trabalhando para que haja um atraso de vigência da regra até 01º de julho de 2012 para permitir que os estados tenham tempo de cumpri-la Membros estão sujeitos a um prazo que vai até 30 de setembro de 2011, para apresentar planos para implantar a regra.

As Associações Médicas Americanas querem que os CMS trabalhem pra ajustar o pagamento baseado no cumprimento das diretrizes de atendimento baseado em evidências, ao invés de adotar uma política para bloquear o pagamento para as condições médicas adquiridas, de acordo com as observações apresentadas em respostas à regra proposta, lançada em 17 de fevereiro.

De acordo com a presidente da AMA, Cecil B. Wilson, MD, a Associação está solicitando aos CMS o atraso da implantação da regra no final do ano.

A Academia Americana de Pediatria está preocupada que a regra Medicaid poderia incentivar os hospitais a desviar pacientes complicados para instituições de caridade.

De acordo com o vice-presidente da Associação Nacional de Hospitais e Sistemas de Saúde Pública, Xiaoyi Huang, o fardo de documentar as condições de um paciente no momento da admissão é uma questão que pode confundir a aplicação do hospital do Estado. Serão necessários funcionários e recursos para estabelecer um registro dessas condições, algumas das quais nem sempre são identificáveis quando o paciente chega.

Para o diretor executivo da National Association de Administração Madicaid, Matt Salo, melhorar o Medicare e o Medicaid é importante. Mas informa que a regra pode necessitar de mais informações e uma mudança por parte dos médicos e hospitais.

CMS esperam que a regra só possibilite economia. Com os estados gastando menos de US$ 3 milhões e o governo federal US$ 4 milhões no ano fiscal de 2012, que começa em 01º de outubro. A regra vai reduzir os gastos federais e estaduais de Medicaid por um combinado de US$ 35 milhões em 2015.

Dezessete estados já limitaram o pagamento de Medicaid para doenças possíveis de serem prevenidas ou lesões: Colorado, Connecticut, Flórida, Idaho, Indiana, Kansas, Kentucky, Massachusetts, Minnesota, Nebraska, New Jersey, New York, Oregon, Utah, Washington, Wisconsin e Wyoming.

Farmacêutico Técnico Responsável ganha em média R$ 2.441 mil



É uma vergonha o piso pago para a categoria farmacêutica. A responsabilidade é muito grande para o salário pago.
Os profissionais estão cada vez mais qualificados, a farmácia clínica está a todo o vapor nos hospitais, a legislação é rigorosa, atendemos e orientamos pacientes, trabalhamos com inúmeros processos diariamente, somos cobrados por controles rigorosos, falhas não são admitidas e muito menos diferenças de inventário, mas e o que nos dão em troca?
Salários como estes relacionados abaixo. Cabe a nós a valorização da profissão, como? não aceitando a responsabilidade técnica à distância e mostramos que dentro de nossas áreas de atuação promovemos a saúde e trazemos lucros não só financeiros, mas a satisfação de ser bem atendido por um profissional qualificado que é muitas vezes chamado de "balconista de luxo".

Farmacêuticos univos!
Pesquisa da Catho Online, empresa de classificados online de currículos, traz média salarial de profissionais de diversas áreas da saúde do País.

Confira a remuneração da área farmacêutica:

Cargo: Farmacêutico Técnico Responsável Loja
Média salarial: R$ 2.441

Cargo: Assistente
Média salarial: R$ 1.140

Cargo: Auxiliar
Média salarial: R$ 1.028

Cargo: Estagiário
Média salarial: R$ 945

Metodologia:

O estudo é atualizado a cada três meses e traz dados de mais de 1.800 cargos,
de 218 áreas de atuação profissional e de 48 ramos de atividade econômica, dentro de 21 regiões geográficas do Brasil, além de 7 faixas de faturamento para classificação de porte de empresa.

Sírio-Libanês inaugura centro de oncologia em Brasília

O Hospital Sírio-Libanês inaugura, em Brasília, a sua primeira unidade fora do Estado de São Paulo: o Sírio-Libanês Brasília – Centro de Oncologia, dedicado ao tratamento de todos os tipos de câncer, em crianças e adultos. Foram investidos R$ 6 milhões na remodelação e preparação das instalações do prédio de três andares e 2,4 mil m², incluindo 12 suítes para aplicação de quimioterapia e seis consultórios.

A princípio, o objetivo é oferecer tratamento clínico em oncologia, tendo o novo serviço capacidade para realizar 800 consultas e 600 aplicações de quimioterapia por mês. Posteriormente, serão iniciados os serviços de radioterapia.

“A escolha pela capital federal aconteceu de forma bem natural. A cidade apresenta um forte crescimento e há um número significativo de pessoas que fazem tratamento em São Paulo”, explica o diretor-geral do Centro de Oncologia do Hospital Sírio-Libanês, Paulo Hoff, em comunicado.

De acordo com o Superintendente de Estratégia Corporativa do Hospital Sírio-Libanês, Paulo Chapchap, o atendimento em oncologia é um dos pilares da instituição, daí a opção por esta área para a entrada na Capital Federal.

Para Chapchap, o nível de atendimento vai ser igual ao de São Paulo devido à qualidade dos profissionais médicos, enfermeiros e farmacêuticos da região aliada à qualidade desenvolvida pelo Centro de Oncologia do HSL.

Cooperação internacional

O Hospital Sírio-Libanês iniciou um amplo programa para consolidar a sua posição como uma das grandes referências internacionais em oncologia. O primeiro passo foi dado no final do ano passado, quando a instituição começou a discutir projetos de cooperação mútua com Memorial Sloan-Kettering Cancer Center, de Nova York. O objetivo é desenvolver programas colaborativos de educação e treinamento em oncologia, incluindo simpósios conjuntos.

O foco inicial são as áreas de oncologia clínica e radioterapia. Para o futuro, também estão previstos projetos colaborativos de pesquisa, envolvendo as duas instituições. Antes disso, no entanto, serão dados passos preliminares para o alinhamento de sistemas de registro de dados e procedimentos. Justamente por isso, uma das áreas abordadas nessa colaboração será a de tecnologia de informação.

As instalações da instituição brasileira, que incluem o Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa (IEP) tiveram peso expressivo na decisão de prosseguir com as negociações.

A discussão sobre o futuro da colaboração será aprofundada nos próximos meses, coincidindo com uma visita das lideranças do Hospital Sírio-Libanês e de seu Centro de Oncologia à instituição americana.

Descentralização dos serviços

Desde o início de novembro, o Centro de Oncologia do HSL também ocupa dois dos oito andares da nova Unidade Itaim, localizada na Rua Joaquim Floriano, em São Paulo. Com investimento de R$ 35 milhões, a unidade ainda possui serviços de hospital-dia, centro cirúrgico e um Centro de Diagnósticos por Imagem (CDI).

A previsão para o início das operações é ainda neste mês de junho. Confira a estrutura do centro:

Instalações:

-12 suítes para aplicação de quimioterapia
-Seis consultórios
-Há área física para instalação futura de radioterapia

Atendimentos (mensais):

-600 aplicações de quimioterapia
-800 consultas

Corpo Clínico:

Cinco médicos:

-Quatro oncologistas clínicos (sendo uma plantonista)
-Uma oncopediatra

Funcionários:

-22 colaboradores (áreas de atendimento e administrativa)

Área construída: 2,4 mil metros quadrados

Estrutura por andar

Recepção\térreo:

-Seis consultórios
-Sala de pré-consulta (triagem)
-Sala de exames (coleta)
-Salas administrativas
-Sala de reuniões

1.º andar:

-12 suites para aplicação de medicamentos
-Copa de pacientes
-Farmácia de quimioterapia
-Posto de enfermagem

Sub solo:

-Área de apoio administrativo
-Almoxarifado
-Copa de funcionários
-Vestiários
-Área reservada para a instalação do equipamento de radioterapia

Dengue já matou 99 pessoas no Estado do Rio em cinco meses

Número de mortes já superou em mais de 120% em comparação com 2010


Agência Estado
Total de casos de dengue já passa de 130 mil

O Estado do Rio de Janeiro registrou nos últimos cinco meses 99 mortes causadas por dengue, informou a Secretaria Estadual de Saúde nesta quarta-feira (15). O valor já superou em mais de 120% o número de mortes de 2010, que chegou a 43.

No total, o número de infectados em todos os municípios fluminenses chega a 131.604 casos, contabilizados até a 23ª semana de 2011 (2 de janeiro a 11de junho). Em 2010, o número de infectados não chegou a 30 mil.

A Secretaria de Saúde alega que embora o número de notificações apresente uma leve alta, a tendência para as próximas semanas é de queda no total de casos notificados.

Em janeiro, foram notificados 5.680 casos; em fevereiro 17.497; em março 31.947; em abril 48.836, em maio 27.089 e em junho 555.

No período, foram registrados 99 mortes confirmadas, nas seguintes cidades: Nova Iguaçu (8), Duque de Caxias (9), Magé (2), Cabo Frio (1), São Gonçalo (9), Maricá (2), Mesquita (2), Rio de Janeiro (31), São João do Meriti (5), São José do Vale do Rio Preto (1), Bom Jesus de Itabapoana (1), Itaocara (2), Itaperuna (1), Rio das Ostras (3), Barra Mansa (3), Belford Roxo (2), Campos dos Goytacazes (3), Angra dos Reis (3), Japeri (1), Paraíba do Sul (1), Itaboraí (1), São Pedro da Aldeia (1), Valença (2), Casemiro de Abreu (1), Italva (1), Pinheiral (1) e Volta Redonda (2).

A secretaria diz ainda que nos seguintes municípios a doença é tratada como epidemia: Cordeiro, Silva Jardim, Cabo Frio, Macuco, Iguaba Grande, Rio das Ostras, Angra dos Reis, Mendes, Volta Redonda e Cambuci.

Por outro lado, os municípios que saíram da situação de epidemia são: Bom Jesus de Itabapoana, Vassouras, Guapimirim, Santo Antonio de Pádua, Cantagalo, Quissamã, Mangaratiba, Seropédica, Magé e Mesquita.

Fazer sexo "casual" já impede doação de sangue, mesmo com camisinha

Prática sexual variada é considerada ponte para infecção e transmissão de DSTs

Entre as novas regras para doação de sangue no país, publicadas nesta terça-feira (14) no Diário Oficial da União, uma limita pessoas que fizeram sexo casual no ano, usando camisinha ou não, de doar sangue.

O artigo da nova legislação diz que deve ser considerada inapta para doação por 12 meses a pessoa "que tenha feito sexo com um ou mais parceiros ocasionais ou desconhecidos ou seus respectivos parceiros sexuais".

Na última resolução a respeito, de 2004, a frase era praticamente a mesma, mas citava a inadaptação caso faltasse proteção, ou seja, "sem o uso do preservativo". Isto é, na nova resolução, o fato de ter feito sexo com mais de uma pessoa durante o ano, com ou sem proteção, já impede uma pessoa de fazer a doação.

Uma consulta pública sobre essas novas regras foi realizada entre junho e agosto do ano passado, e só agora, mais de um ano depois do início do processo, o governo publicou o texto final com as diretrizes para a doação de sangue.

O Ministério da Saúde afirma, por meio de sua assessoria, que a nova resolução tem como intenção "aumentar a segurança para o receptor de sangue e de seus hemoderivados". Isto é, restringe a população que transou com mais de uma pessoa ao longo de um ano por considerá-la um grupo mais suscetível ao risco de se infectar e transmitir com mais frequência as DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis).

- Existe um risco acrescido porque ele cresce à medida que há uma exposição pelo número de parceiros e, mesmo com camisinha, o parceiro múltiplo não pode doar sangue.

A preocupação do governo é considerada legítima pelos médicos consultados pelo R7. Segundo o hematologista Leandro de Pádua, do Hemocentro São Lucas, em São Paulo, a restrição a esse grupo ocorre pela necessidade de se haver um critério na hora da triagem.

- A camisinha previne bastante, mas para a doação de sangue é um pouco mais criterioso. Para a doação de sangue, a DST e os riscos de desenvolver alguma dessas doenças, entre elas a hepatite C, o HIV, entre outras, são um risco. E isso faz parte de um grupo que tem que ficar em observação, temporariamente inapto.

E mesmo com esse critério, há chance de alguém infectado passar pela triagem, o que faz a necessidade da restrição ser mais específica, ressalta Rafael de Sá Vasconcelos, hematologista do Hemolago, em Brasília. Isso porque, ele explica, a hepatite C e o HIV têm uma janela imunológica de pelo menos 70 dias, ou seja, os vírus não são detectados em testes nesse período nos exames realizados no Brasil. Portanto, se uma pessoa estiver infectada, não saber, for doar e, no teste sorológico realizado depois da coleta, nada for identificado, esse sangue será usado por alguém que se infectará.

- A gente tem que pensar na segurança [de quem for receber o sangue] e ter exames melhores também para diminuir essa janela imunológica e diminuir essa restrição. Boa parte da população você acaba excluindo da doação. Mas, na prática, quando a pessoa teve uma parceria fixa nos últimos seis meses a gente deixa doar.

Nos Estados Unidos, por exemplo, é comum o uso do exame NAT, que consegue detectar o vírus HIV em dez dias e o da hepatite C em 20. A expectativa é de que o exame passe a ser adotado neste ano no Brasil.

Esper Kallás, infectologista da USP (Universidade de São Paulo), diz que o aumento da segurança com a medida é pequeno, já que o risco da transmissão do HIV com o uso da camisinha é "baixíssimo".

– O risco de transmissão em uma relação protegida é muito baixo. E eu acho que isso pode trazer prejuízos para o número de pessoas que doam sangue, mas isso o tempo vai dizer.

Veja o que mudou nas regras para a doação de sangue
continue lendo...

Bebê de dois meses que fala surpreende camponeses na Nicarágua

Pais dizem que garoto fala palavras como "mamãe" e água

Um bebê de dois meses deixou seus pais espantados quando, depois de tomar leite, pronunciou as primeiras palavras em uma comunidade camponesa da Nicarágua. Isabel Mendoza, a mãe do garoto, diz que ele disse palavras como "mamãe".
                                              

– As palavras que disse foram mamãe, papai e "pipe" [menino].

O pai, Antony Huete, contou que seu filho, que possui o mesmo nome dele, pediu-lhe uma vez "água, água".

A avó materna do menino, Rosa Álvarez, contou que no início não acreditava na história, até que ouviu o bebê dizer "água".

– Ele pediu água ao pai.

O caso ocorreu na comunidade de El Palmar, no município costeiro de Tola, departamento de Rivas, perto da fronteira com a Costa Rica.

Jovem cubano com 24 dedos garante que leva vida normal

Cozinheiro leva na brincadeira apelido e diz que gosta de andar descalço


O cubano Yoandri Hernández Garrido assegura que os 24 dedos que tem, distribuídos igualmente entre mãos e pés, não são um empecilho para que tenha uma vida "normal", segundo publicou nesta quarta-feira o site oficial "Cubadebate".

A peculiaridade física de Hernández, de 30 anos, lhe rendeu o apelido de "Vinte e quatro" na comunidade onde vive na bacia do rio Toa, na província de Guantánamo.

Hernández, que trabalha como "cayuquero" (condutor de barcas entre as margens do rio) e cozinheiro de um centro turístico, afirma que sua maior paixão é andar descalço ou com o sapato aberto para mostrar seus seis dedos em cada um dos pés e das mãos.

A bacia do rio Toa, que tem 1.060 quilômetros quadrados, é a região menos habitada de Cuba, quase deserta, e tem aproximadamente um habitante por quilômetro quadrado.

Segundo Hernández, em sua família não há outra pessoa que tenha a mesma "virtude" que ele. Além disso, se sente "à vontade" com sua esposa, com quem teve três filhos que "nasceram inteiros e sem alterações".

http://noticias.r7.com/saude/noticias/jovem-cubano-com-24-dedos-garante-que-leva-vida-normal-20110615.html

Acidentes com fogos de artifício deixam 1.382 feridos em 3 anos



O uso de fogos de artifício, comum durante o período de festas juninas, foi responsável pela internação de 1.382 pessoas nos últimos três anos no país.

O número foi divulgado nesta quarta-feira pelo Ministério da Saúde, com base nas estatísticas oficiais, como forma de alertar para os riscos de queimaduras e acidentes em razão da brincadeira.

Segundo o ministério, 122 mortes foram registradas em 14 anos pelo manuseio inadequado de fogos durante o período das festas juninas. Além das mortes, o uso de rojões e bombas pode provocar queimaduras, lacerações, cortes, amputações de membros, perda da visão e lesões auditivas.

Os Estados que registraram os maiores números de internações entre 2008 e abril de 2011 são Bahia (296), São Paulo (289) e Minas Gerais (165).

O ministério informou ainda que, em média, mais de cem pessoas são internadas durante o período das festas juninas --que vai de maio a julho, dependendo da região. No ano passado, 168 pessoas foram internadas no período.

O levantamento apontou que as pessoas com idade entre 20 e 49 anos sofreram o maior número de acidentes, com 39% das mortes registradas entre 1996 e 2009. Entre as crianças de até 14 anos, o percentual de óbitos foi de 23%.

PRECAUÇÕES

Para o Ministério da Saúde, o manuseio de fogos de artifício deve ser evitado. Caso seja "inevitável" a utilização, o ministério adverte que as instruções do fabricante seja seguidas, como: jamais carregar bombinhas nos bolsos e nunca acender próximo ao rosto.

O manuseio de fogos também deve ser proibido para menores de 18 anos e com o consumo de bebida alcoólica.

Em caso de acidente, deve-se lavar o ferimento com água corrente, evitar tocar na área queimada e não passar nenhuma substância sobre a lesão --como manteiga, creme dental, clara de ovo e pomadas. Em seguida, a vítima deve procura o serviço de saúde mais próximo.

Toxina é usada em crianças com paralisia cerebral

Moradora do interior do Rio, Luana, 7, foi encaminhada ao Into (Instituto Nacional de Ortopedia), na capital, para se submeter a uma cirurgia.

Portadora de paralisia cerebral, ela tinha um encurtamento dos músculos da panturrilha devido às dificuldades motoras, as quais a faziam andar na ponta do pé direito.

Em vez de fazer a cirurgia, porém, começou a ser tratada com toxina botulínica.

A cada seis meses, recebe uma injeção da substância na panturrilha direita.

Hoje, após a quarta aplicação, já consegue apoiar o pé no chão e ganhou mais equilíbrio, segundo a mãe, a dona de casa Mariane Helena Madeira, 27.

A fisiatra Maria Luiza de Almeida Meireles, do Into, explica que a substância ajuda a combater a espasticidade (ou seja, a rigidez excessiva de determinados músculos em consequência das falhas nos comandos emitidos pelo cérebro).

A fisiatra alerta, porém, que as aplicações sozinhas não são suficientes para evitar os problemas que as alterações no tônus muscular podem causar e devem estar associadas a fisioterapia e terapia ocupacional.

Brasil aprova uso de botox para tratamento de enxaqueca



A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou o uso de injeções de botox para o tratamento de enxaqueca crônica. Antes do Brasil, só EUA e Inglaterra haviam autorizado a aplicação do produto no tratamento da doença.

A aplicação do botox, marca da farmacêutica Allergan para a toxina botulínica tipo A, foi aprovada como uma forma de prevenir crises.

A substância é injetada em até 39 pontos da cabeça e do pescoço do paciente. O mecanismo de ação da droga não é totalmente conhecido.
Acredita-se que a toxina iniba a inflamação dos vasos sanguíneos da cabeça e que ela altere a percepção da dor.

A enxaqueca é causada por um desequilíbrio bioquímico de origem hereditária que leva à inflamação de vasos sanguíneos da cabeça.

As crises podem ser desencadeadas por fatores hormonais, alimentares ou emocionais. Jejum prolongado e estresse são alguns dos "gatilhos" da dor.



EFEITO TERAPÊUTICO

A toxina é feita pela bactéria causadora do botulismo, doença que leva à paralisia muscular e até à morte. Seu uso terapêutico foi aprovado pela primeira vez há 20 anos, nos EUA, para tratar estrabismo.

Desde então, passou a ser usada no tratamento de mais de 20 problemas estéticos e de saúde, das rugas às sequelas de derrames. Na maioria dos casos, o benefício à saúde é obtido porque a toxina deixa os músculos mais relaxados.

MENOS DIAS

Para aprovar a indicação do botox contra enxaqueca, a Anvisa usou uma pesquisa com 1.384 voluntários nos Estados Unidos e na Europa.

O estudo mostrou que, após seis meses de tratamento, aqueles que receberam aplicações de botox tiveram 8,6 dias a menos de enxaqueca por mês. Entre os que receberam placebo, a queda foi de 6,6 dias.

A enxaqueca é considerada crônica quando o paciente tem episódios de dor ao menos 15 dias por mês, por três meses seguidos.

Apesar de pequena, "a diferença é estatisticamente significativa", afirma o neurologista Elder Sarmento, presidente da Sociedade Latino-Americana de Cefaleia.

Segundo ele, os efeitos colaterais mais comuns do tratamento são dor no pescoço, fraqueza muscular e cefaleia.

O efeito da toxina é temporário, e, por isso, o tratamento precisa ser repetido, com periodicidade de três a seis meses. "O botox não é a solução, mas é uma nova alternativa para o tratamento", afirma o presidente da Sociedade Brasileira de Cefaleia, Marcelo Ciciarelli.

FDA bane uso dos termos 'bloqueador solar' e 'à prova d'água' em protetores

Conjunto de exigências para protetores solares será adotado a partir de 2012, mas vigilância sanitária já chama atenção para as regras

Os Estados Unidos adotaram novas regras para os protetores solares que serão vendidos a partir de junho de 2012, mas já anteciparam alertas aos consumidores para este verão, que começa, no Hemisfério Norte, no próximo dia 21.



A vigilância sanitária americana (FDA) decidiu banir as expressões "bloqueador solar", "à prova d"água" e "à prova de suor" das embalagens, por considerá-las como enganadoras. Somente serão considerados como protetores solares os que apresentarem em sua fórmula no mínimo o fator de proteção 15 e também substâncias capazes de qualificá-los como um produto de "amplo espectro" (mais informações nesta página).

De acordo com relatório da FDA, o fator de proteção solar (FPS) somente é capaz de diminuir a absorção de raios ultravioletas de ondas médias, os UVB, causadores de vermelhidão na pele exposta ao sol. Porém, o FPS 15 ou superior não são capazes de oferecer proteção contra os UVA, raios de ondas longas. Daí a exigência do FDA da presença dos ingredientes de "amplo espectro" nos protetores solares a partir do ano que vem.

A mudança nos padrões da fórmula e das embalagens de protetores solares se deve ao elevado risco de a exposição ao sol provocar câncer e envelhecimento da pele. Nos EUA, esse é o tipo mais comum de câncer. A cada ano, 2 milhões de novos casos de câncer de pele, excluídos os de melanoma, são registrados no país. Mais agressivo, o melanoma foi detectado em mais de 68 mil casos de doenças de pele no ano passado, segundo dados da Sociedade Americana de Câncer.

"Muitos casos de câncer de pele são causados pela exposição ao sol. O FDA estimula os consumidores a se proteger. Eles não devem apenas aplicar e reaplicar o protetor solar, mas também limitar sua exposição ao sol", afirmou Janet Woodcock, diretora do Centro para Avaliação de Drogas e de Pesquisa do FDA.

Ao banir a expressão "bloqueador solar", o FDA emitiu um sério alerta sobre a incapacidade de qualquer produto à venda no mercado americano de proteger integralmente o consumidor dos efeitos nocivos dos raios UVA e UVB. No máximo, esses produtos são capazes de proteger a pele se forem usados de maneira correta.

O FDA recomendou fortemente o uso de chapéu e de roupas apropriadas em situações de exposição direta ao sol e também a reutilização do protetor solar a cada 40 minutos ou 80 minutos, dependendo da qualificação. A reaplicação deve ser feita depois de cada banho - em piscina ou no mar - e durante a prática de esportes ao ar livre, porque o contato com a água e com o suor diminui a ação dos protetores.

Segundo Janet Woodcock, as novas regras foram adotadas como resultado de uma avaliação de dados de protetores solares, de requisitos para as embalagens e de testes de desenvolvimento dessas substâncias.

Na lógica do FDA, a iniciativa implicará em esforço de modernização da informação oferecida pela indústria aos consumidores sobre os benefícios de seus produtos.

"Essas mudanças nas embalagens são importantes para ajudar os consumidores a ter as informações que precisam para escolher corretamente a proteção solar", afirmou Janet.

Assistir muita televisão influencia no desenvolvimento de doenças

Estilo de vida sedentário aumenta risco de desenvolver diabetes e doenças cardiovasculares

NEW YORK - As pessoas que passam mais horas na frente da televisão correm mais risco de morrer precocemente, ou desenvolver diabetes e doenças cardiovasculares, sugere um novo estudo.

"A mensagem é simples," disse o autor do estudo Dr. Frank Hu, da Escola de Saúde Pública de Harvard para a Agência Reuters. "Diminuir o tempo que se assiste TV é uma forma importante de reduzir o comportamento sedentário e diminuir o risco de diabetes e doenças cardiovasculares."

Todos os dias, americanos passam cerca de cinco horas assistindo televisão enquanto australianos e parte dos europeus passam de 3,5 a 4 horas.

Pessoas que se sentam em frente a televisão não apenas não se exercitam como são mais propensas a comer alimentos menos saudáveis, explicou Hu. "A combinação do estilo de vida sedentário, dieta não saudável e obesidade criam o 'cenário ideal' para o diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares."

Este não é o primeiro estudo que associa o tempo que se passa na frente da televisão com efeitos negativos - muitos estudos encontraram forte evidências ligadas à obesidade, e uma pesquisa de 2007 descobriu que mais tempo dedicado à televisão era associado com o aumento na pressão arterial em crianças obesas. Outro estudo do mesmo ano revelou que crianças acima do peso que assistem propagandas de comida tendem a dobrar a quantidade do que consome.

Para o novo estudo, publicado na revista Journal of the American Medical Association, Hu e sua equipe revisaram pesquisas anteriores que estudaram a ligação entre assistir televisão e algumas doenças. No fim, a análise deles incluiu oito estudos que acompanharam mais de 200 mil pessoas durante 7 a 10 anos, em média.

Hu e equipe descobriram que a cada duas horas na frente da televisão, o risco de desenvolver diabetes aumenta em 20%, enquanto o risco de desenvolver doenças do coração aumentam em 15%. O risco de morte aumenta 13%.

Baseando-se nestes resultados, os pesquisadores estimaram que, entre um grupo de 100 mil pessoas, reduzir o tempo na frente da televisão em duas horas, poderia prevenir 176 novos casos de diabetes, 38 casos de doenças cardiovasculares fatais e 104 mortes prematura todos os anos.

Todos os estudos analisados se asseguraram que os participantes não apresentava doenças crônicas, isso porque pessoas já doentes tendem a passar mais tempo na frente da televisão e desenvolver diabetes, doenças do coração e morrer precocemente. Mas Hu e sua equipe alertam, é possível que algumas pessoas tenham algumas doenças não detectadas durante os estudos, o que poderia comprometer os resultados.

O estudo não pode provar que assistir televisão, por assim dizer, aumenta o risco de desenvolver doenças. Nem pode identificar, exatamente, sobre como isso pode influenciar no risco.

"É verdade que as pessoas que assistem bastante televisão se diferem daquelas que assistem menos, principalmente em termos de dieta e níveis de atividade física realizada," diz Hu. Pessoas que assistem a muita televisão comem mais junk food, ele explica, mas dietas pouco saudáveis ou pouca atividade física são também consequências do ato de assistir televisão por tempo prolongado, isso explica alguns efeitos adversos do comportamento sedentário.

"Tenho certeza que todos nós sem perceber perdemos noites deitados no sofá, em frente a televisão, comendo salgadinhos e biscoitos e consumindo bebidas com açúcar e álcool", disse Maureen Talbot, uma enfermeira da Fundação britânica do Coração, que não foi envolvida no estudo, "mas é importante que isto não se torne uma atividade regular."

"Nós devemos tentar ser seletivos sobre quanto tempo passamos assistindo televisão, e tentar ser mais ativos fisicamente," disse Talbot. "Precisamos de 30 minutos de atividade física pelo menos cinco dias por semana para manter nosso coração saudável, então porque não fazer uma caminhada depois do trabalho, entrar em um equipe esportiva. É mais recompensador que ficar olhando para uma caixa."

Equipe médica inicia procedimentos para reconstruir rosto de mulher no Peru

Tumor no olho da mulher de 22 anos está se espalhando e seguindo rumo ao cérebro

Lima - Uma equipe médica formada por 40 profissionais peruanos iniciou nesta quarta-feira o procedimento para extirpar um tumor de 1,5 quilo e posteriormente reconstruir o rosto de uma paciente de 22 anos, segundo o ministro da Saúde do Peru, Óscar Ugarte.

Norman Córdova/Efe

A operação começou na manhã desta quarta-feira (15) no Hospital Dos de Mayo e terá duração de 22 horas nesta primeira etapa - a paciente Victoria M. precisará de outras intervenções até a última fase, na qual será submetida a uma cirurgia estética reconstrutiva, afirmaram à Agência Efe fontes médicas.

Victoria tem desde os nove anos um tumor no olho esquerdo que foi crescendo até deformar os ossos da cabeça e do crânio, o que torna a cirurgia extremamente complicada.

"Sei que vai ser um milagre, que tudo vai correr bem e vou ser normal", afirmou a paciente à rádio "Programas del Peru" pouco antes de entrar na sala de cirurgia.

O doutor José Fuentes Rivera, diretor do Hospital Dos de Mayo, disse que o tumor "deteriorou o olho esquerdo, o paladar, o maxilar, a testa e está se propagando rumo ao cérebro", o que representa um perigo para a vida da mulher.

O hospital, por iniciativa da Presidência do Conselho de Ministros, encomendou na Suíça próteses de três peças do crânio e do rosto da paciente para serem colocados nesta quinta-feira.

Depois desta primeira operação, serão realizadas outras quatro intervenções para fazer "vários enxertos para a reconstrução do nariz, das próteses oculares e finalmente a cirurgia estética", que consistirá em um transplante parcial do rosto.

O médico espera que o transplante de rosto possa ser realizado dentro de 30 dias, dependendo da evolução da paciente, e se tornará a primeira intervenção cirúrgica deste tipo no Peru - segundo o médico, existem apenas oito casos de reconstruções de rosto no mundo todo.

Fuentes Rivera informou que as cirurgias custarão aproximadamente US$ 90 mil, que serão cobertos pelo Ministério da Saúde, o Seguro Integral de Saúde e o próprio Hospital Dos de Mayo.

Castração química pode aumentar tolerância em transplantes, diz estudo

Ratos apresentaram melhor resposta a transplantes após supressão química dos hormônios sexuais

Washington - A redução na produção de hormônios sexuais poderia ajudar a aumentar a tolerância no transplante de órgãos em pacientes de idade avançada, constata um artigo publicado nesta quarta-feira na revista Science Translational Medicine.

O estudo, liderado pelo pesquisador Gaoping Zhao da Universidade de Harvard (EUA) e realizado com ratos, explica como a supressão química de hormônios sexuais diminui a resposta negativa em casos de transplante.

"Esta menor reatividade do sistema imunológico pode ser um cenário ideal para obter a ausência de reação perante novos antígenos, que é o objetivo da tolerância em transplantes", indica a pesquisa.

Aparentemente, os sistemas imunológicos mais maduros costumam reagir muito mal aos transplantes e facilitam a ocorrência de infecções e a rejeição aos novos órgãos.

A equipe de Gaoping Zhao descobriu que este problema pode estar relacionado ao encolhimento do timo, principal produtor de células imunológicas T.

Em princípio, os pesquisadores se centraram em ratos adultos que custavam a aceitar transplantes de coração a longo prazo.

Após praticar a castração cirúrgica, os ratos apresentaram uma maior aceitação dos enxertos a longo prazo e uma restauração das células do timo.

Posteriormente, os pesquisadores começaram a aplicar um procedimento menos invasivo de manipulação química dos níveis de hormônios sexuais através do fármaco leuprolida e observaram efeitos de aumento da tolerância a novos órgãos.

A leuprolida, até agora utilizada no tratamento do câncer de próstata, interrompe temporariamente a função da gônada nos homens e parece, deste modo, facilitar níveis de rejeição mais baixos nos transplantes em pacientes de idade avançada.

Propagandas antigas - Mitigal no palco


“Extingue prontamente as coceiras”. Os anúncios do Mitigal, da Bayer, mostravam cenas engraçadas de quem se coça em momentos impróprios, como o violinista que usa do instrumento para aplacar a coceira nas costas durante a apresentação, para surpresa do pianista e da plateia.

16 de janeiro de 1932.

Demência

Definição
A demência é a perda da função cerebral que ocorre com determinadas doenças. Ela afeta a memória, o raciocínio, a linguagem, o juízo e o comportamento.

 
Nomes alternativos
Síndrome cerebral crônica; demência com corpos de Lewy; DCL; demência vascular; comprometimento cognitivo leve; MCI



 
O sistema nervoso central é formado pelo cérebro e pela medula espinhal. O sistema nervoso periférico inclui todos os nervos periféricos


Causas, incidência e fatores de risco
A maioria dos tipos de demência é irreversível (degenerativa). Irreversível significa que as alterações no cérebro que estão provocando a demência não podem ser interrompidas ou desfeitas. O Mal de Alzheimer é o tipo mais comum de demência.

 
A doença com corpos de Lewy é a principal causa de demência em adultos idosos. As pessoas com essa doença têm estruturas proteicas anormais em certas regiões do cérebro.

 
A demência também pode ocorrer devido a vários derrames pequenos. Isso é chamado de demência vascular.

 
As seguintes doenças também podem levar à demência:

 
  • Mal de Parkinson
  • Esclerose múltipla
  • Doença de Huntington
  • Doença de Pick
  • Paralisia supranuclear progressiva
  • Infecções que podem afetar o cérebro, como HIV/AIDS e doença de Lyme

 
Algumas causas da demência podem ser interrompidas ou revertidas se forem detectadas a tempo, inclusive:

 
  • Tumores cerebrais
  • Alterações nos níveis de açúcar, sódio e cálcio no sangue (consulte: Demência devido a causas metabólicas)
  • Baixos níveis de vitamina B12
  • Hidrocefalia normotensiva
  • Uso de determinados medicamentos, incluindo a cimetadina e alguns medicamentos para diminuir o colesterol
  • Abuso crônico do álcool
  • Em geral, a demência ocorre em pessoas mais velhas. É rara em pessoas com menos de 60 anos. O risco de demência aumenta conforme a pessoa envelhece.

 
Sintomas
Entre os sintomas da demência estão dificuldade em muitas áreas da função mental, como:

 
  • Linguagem
  • Memória
  • Percepção
  • Comportamento emocional ou personalidade
  • Capacidades cognitivas (como cálculo, pensamento abstrato ou capacidade de julgamento)
  • Geralmente, a demência começa com esquecimento.

 
O comprometimento cognitivo leve é o estágio entre o esquecimento normal devido ao envelhecimento e o desenvolvimento da demência. As pessoas com MCI têm problemas leves com o raciocínio e a memória que não interferem nas atividades diárias. Muitas vezes, elas estão cientes do esquecimento. Nem todas as pessoas com MCI desenvolvem demência.

 
Os sintomas da MCI incluem:

 
  • Esquecer eventos ou conversas recentes
  • Dificuldade para realizar mais de uma tarefa ao mesmo tempo
  • Dificuldade para resolver problemas
  • Levar mais tempo para realizar atividades mentais mais complexas
Os primeiros sintomas da demência podem incluir:

 
  • Problemas de linguagem, como dificuldade para encontrar o nome familiar dos objetos
  • Perder itens
  • Perder-se em caminhos familiares
  • Alterações de personalidade e perda das habilidades sociais
  • Perda de interesse em coisas de que gostava antes, falta de ânimo
  • Dificuldade de realizar tarefas que exigem algum raciocínio, mas que antes eram feitas com facilidade, como conferir os gastos no talão de cheques, jogar (buraco ou outros jogos) e aprender novas informações ou rotinas

À medida que a demência avança, os sintomas se tornam mais óbvios e interferem com a capacidade da pessoa de cuidar de si mesma. Os sintomas podem incluir:

 
  • Esquecer detalhes de eventos recentes
  • Esquecer eventos da própria história de vida, perder consciência de quem a pessoa é
  • Alterações nos padrões de sono, acordando durante a noite frequentemente
  • Maior dificuldade de ler ou escrever
  • Capacidade de discernimento diminuída e perda da capacidade de reconhecer o perigo
  • Usar palavras erradas ou não pronunciar as palavras corretamente, falar em frases confusas
  • Evitar contato social
  • Ter alucinações, discussões, gestos e comportamentos violentos
  • Ter delírios, depressão ou agitação
  • Dificuldade de realizar tarefas básicas, como cozinhar, vestir-se adequadamente ou dirigir

As pessoas com demência severa não conseguem:

 
  • Compreender a linguagem
  • Reconhecer familiares
  • Realizar atividade básicas e cotidianas, como comer, vestir-se e tomar banho

Outros sintomas que podem ocorrer com a demência:

 
Incontinência
Problemas de deglutição

Exames e testes
Muitas vezes, a demência pode ser diagnosticada com base no histórico e exame físico por um médico ou enfermeiro habilidosos. O médico fará a anamnese, o exame físico (incluindo um exame neurológico) e realizará alguns testes de função mental denominados exame do estado mental.

 
O médico poderá solicitar testes para determinar se outros problemas estão causando ou piorando a demência.

 
Essas doenças incluem:

 
  • Doença da tireoide
  • Deficiência vitamínica
  • Tumor cerebral
  • Intoxicação de medicamentos
  • Infecção crônica
  • Anemia
  • Depressão severa

Os seguintes exames e procedimentos podem ser feitos:

 
  • Nível de vitamina B12
  • Nível de amônia no sangue
  • Perfil metabólico (Chem-20)
  • Gasometria arterial
  • Análise do líquido cefalorraquidiano (LCR)
  • Níveis de drogas e álcool (análise toxicológica)
  • Testes de exposição a metais como chumbo ou arsênico
  • Eletroencefalograma (EEG)
  • Teste de glicose
  • Tomografia computadorizada da cabeça
  • Exame da função hepática
  • Teste de estado mental
  • Ressonância magnética da cabeça
  • Cálcio sérico
  • Eletrólitos séricos
  • Exames de função da tireoide
  • Nível de hormônio estimulador da tireoide
  • Urinálise

 
Tratamento
O objetivo do tratamento é controlar os sintomas da demência. O tratamento depende da doença que esteja causando a demência. Algumas pessoas necessitam ser internadas por um curto período.

 
Interromper ou alterar a medicação que piora a confusão pode melhorar a função cerebral.

 
Cada vez mais evidências apontam para os benefícios que alguns tipos de exercícios mentais podem trazer para melhorar a demência.

 
Muitas vezes, tratar as doenças que levam à confusão melhora significativamente o funcionamento mental.

Essas doenças incluem:

  • Anemia
  • Hipóxia
  • Depressão
  • Insuficiência cardíaca
  • Infecções
  • Distúrbios nutricionais
  • Distúrbios da tireoide
Talvez seja necessário tomar medicamentos para controlar os problemas comportamentais causados pela perda da capacidade de julgamento, maior impulsividade e confusão.

 
Os possíveis medicamentos incluem:

 
  • Antipsicóticos
  • Estabilizadores de humor
  • Drogas que afetam a serotonina
  • Estimulantes
Algumas drogas podem ser usadas para diminuir a velocidade de piora dos sintomas. Geralmente, o benefício trazido por essas drogas é pequeno e os pacientes e suas famílias podem não perceber muita diferença.
Os olhos e os ouvidos de uma pessoa devem ser examinados regularmente. Talvez seja necessário usar aparelhos auditivos, óculos ou se submeter a cirurgia de catarata.

 
Geralmente, a psicoterapia ou a terapia de grupo não ajudam porque podem causar mais confusão.

 
Evolução (prognóstico)
As pessoas com comprometimento cognitivo leve nem sempre desenvolvem demência. Entretanto, quando a demência ocorre, ela geralmente piora e, muitas vezes, diminui a qualidade e a expectativa de vida.

 
Complicações
As complicações dependem da causa da demência, mas podem incluir o seguinte:

 
  • Abuso por um cuidador sobrecarregado
  • Aumento das infecções em qualquer parte do corpo
  • Perda da capacidade funcional ou de cuidar de si mesmo
  • Perda da capacidade de interagir
  • Menor expectativa de vida
  • Efeitos colaterais dos medicamentos para tratar a doença

Ligando para o médico
Ligue para seu médico se:

 
A demência se desenvolver ou houver uma mudança no estado mental
O estado de uma pessoa com demência piorar
Você não for capaz de cuidar em casa de uma pessoa com demência

Prevenção
A maioria das causas da demência não pode ser prevenida.

 
Você pode reduzir o risco de demência vascular, causada por uma série de pequenos derrames, parando de fumar e controlando a hipertensão arterial e o diabetes. Seguir uma dieta com pouca gordura e fazer exercícios regularmente também pode reduzir o risco de demência vascular.

 
http://saude.ig.com.br/minhasaude/enciclopedia/demencia/ref1238131532100.html

Tratamentos dermatológicos caseiros são arriscados, diz especialista

Nos últimos anos, popularizou-se, especialmente nos Estados Unidos, a venda de equipamentos conhecidos como home devices, para uso em casa, que dizem oferecer resultados semelhantes aos procedimentos estéticos realizados apenas nos consultórios médicos.



Como toda febre de consumo, a aceitação no mercado norte-americano tem sido grande. No Meeting da Academia Americana de Dermatologia de 2011, por exemplo, um dos lançamentos de destaque foi um aparelho de laser de 1.440 nm, para uso doméstico. Também são coqueluche na América do Norte, os LEDs de baixa intensidade que prometem realizar a bioestimulação para o crescimento de cabelos, rejuvenescimento facial, melhora de celulite e gordura.

Apesar do FDA (Food and Drug Administration) ter aprovado o uso desses equipamentos para tratamentos domiciliares por, em princípio, não envolverem riscos, a questão que se coloca é: será que realmente não existe perigo à saúde dos pacientes e um estímulo sem controle ao autotratamento?

No Brasil, ainda não há equipamentos de laser aprovados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), mas alguns consumidores garantem os seus exemplares em viagens ao exterior.

Limitações dos equipamentos

Para o Dr. Alexandre Filippo, os home devices representam um modismo que, por empregarem energia extremamente baixa, exigem muita disciplina por parte de seus adeptos. “Acredito que, nesse caso, o maior risco é o das pessoas não alcançarem os resultados almejados. Se não forem utilizados regularmente e por tempo prolongado, os aparelhos não trarão qualquer modificação.”

Filippo exemplifica, citando os limites dos LEDs de bioestimulação para crescimento de cabelos para uso em casa. Enquanto o equipamento utilizado nos consultórios tem entre 500 e 1.000 lâmpadas, o home device para esta finalidade conta com, no máximo, nove.

“O paciente precisa utilizar frequentemente o aparelho durante um longo tempo, e dificilmente terá resultados comparáveis aos do consultório. Isso aumenta a chance de abandono e insatisfação”, afirma.
Quanto aos efeitos divulgados pelos fabricantes de home devices, o especialista é enfático ao afirmar que esses produtos não têm como competir com os lasers de consultório.

“Creio que serão um recurso a mais na rotina diária de cuidados com a pele. Podem substituir alguns tratamentos dermocosméticos, mas nunca os procedimentos de consultório, que são mais potentes e contam com o acompanhamento e expertise do dermatologista”.

Disciplina no uso e risco de efeitos indesejados

O dermatologista Dr. Luís Torezan acredita que o uso indiscriminado pode levar a alguns casos de complicações, como irritações oculares e dermatites de contato, e ausência de resultados, da mesma forma que os tratamentos mal executados em clínicas de estética, por profissionais não treinados, que envolvam Luz Intensa Pulsada, epilação ou laser de CO2.

Torezan alerta ainda para possíveis efeitos inesperados dos equipamentos de uso em casa. “Existem home devices que prometem uma remoção temporária dos pelos indesejados. Mas, o uso indevido na face pode induzir a bioestimulação de novos pelos, pois usam baixa energia”, afirma.

Demonstrações em vídeo

As imagens de livre acesso em sites de postagem de vídeos que mostram “Do it Yourself” (em português, “faça você mesmo”) de tratamentos caseiros e home devices são um perigo.

“Cada paciente reage de uma forma diferente aos procedimentos, e há inúmeras ocorrências impossíveis de antecipar ou de explicar, em um vídeo caseiro. Caso reproduza sozinho os procedimentos que aprendeu na Internet, o paciente está muito vulnerável à ocorrência de problemas”, comenta a médica.

Portanto, todo cuidado é pouco. A especialista recomenda que os interessados nestes novos tratamentos procurem informação detalhada sobre o equipamento com seu dermatologista para entender bem como ele funciona e como deverá utilizá-lo.

Os produtos não devem ser utilizados sem supervisão médica. “Mesmo com a evolução das tecnologias para uso doméstico, quem é mais indicado para avaliar esse tipo de procedimento é o médico dermatologista”, finaliza Eliandre.

http://www.band.com.br/jornalismo/saude/conteudo.asp?ID=100000439418

Portal e-Democracia da Câmara abre espaço para debater propostas de enfrentamento às drogas

Brasília – O portal e-Democracia da Câmara, relançado hoje (15), passará a contar com um novo espaço para discussão: a Comunidade Políticas Públicas de Combate às Drogas. Trata-se de mais um instrumento para contribuir no enfrentamento a esse grave problema, disse o presidente da Casa, Marco Maio (PT-RS), durante solenidade que reuniu os integrantes da comissão especial criada para elaborar propostas de tratamento aos dependentes químicos e de prevenção e repressão ao consumo e ao tráfico de drogas e representantes do governo e da sociedade, como a autora de novelas Glória Perez.



Segundo Marco Maia, o e-Democracia será um instrumento que incentivará os grandes debates que levaram às transformações esperadas pela sociedade. “Um dos primeiros grandes debates a ser promovido será sobre o combate as drogas”. Ainda de acordo com o presidente da Câmara, apenas com a participação popular o Brasil será capaz de resolver seus problemas.

“O portal e-Democracia é mais um instrumento criado para aproximar o cidadão do debate legislativo e permitir que as contribuições da sociedade ajudem a constituir novas leis que possam dar respostas à população”, disse Marco Maia.

O relator da comissão especial, deputado Givaldo Carimbão (PSB-AL), elogiou o relançamento do portal e disse que ele será importante para que a sociedade se manifeste sobre medidas a serem adotadas no combate às drogas. Esse tipo de iniciativa é muito valiosa e é mais um canal para debater o assunto, acrescentou Glória Perez.

Carimbão lembrou que a comissão está analisando 97 projetos que tramitam na Câmara com propostas para enfrentar o problema das drogas. Segundo ele, estão sendo ouvidos os vários segmentos da sociedade em todos os estados para fazer um diagnóstico da situação. “Quero ter um diagnóstico para saber quais as ferramentas que estão sendo usadas pelos governos federal, estaduais e municipais para resolver o problema das drogas, com medidas de combate, repressão e reinserção”.

Exercícios aeróbicos fazem bem ao cérebro

Estudo mostrou que a prática regular de atividades como corrida e natação ajuda a preservar a memória e evitar a demência

A prática de exercícios de alta intensidade pode fazer muito mais do que deixar o corpo em forma.


Natação: prática regular de exercícios aeróbicos beneficia o corpo e o cérebro

Uma nova pesquisa revela que a prática de atividade aeróbicas em longo prazo pode também estimular o funcionamento cerebral. As conclusões foram apresentadas no encontro anual da Sociedade Americana de Medicina Esportiva, que ocorre esta semana em Denver.

No estudo, a equipe liderada por Benjamin Tseng, pesquisador do Laboratório Cerebrovascular do Instituto de Medicina do Exercício e do Ambiente do Hospital Presbiteriano do Texas (IEEM), comparou a estrutura e o funcionamento cerebral de 10 atletas com o de 10 pessoas sedentárias.

Os tipos de função cerebral observados incluiram controle muscular e a função executiva (processo cognitivo responsável pelo planejamento e pela execução de atividades, incluindo iniciação de tarefas, memória de trabalho, atenção sustentada e inibição de impulsos), além de outras funções cerebrais.

“Sabemos que a estrutura cerebral e alguns aspectos do funcionamento cognitivo deterioram com a idade, mais ainda não conseguimos descobrir quais são exatamente os fatores e mecanismos que contribuem para isso”, disse Tseng em um boletim do hospital.

“Nossos resultados preliminares elucidam este importante tópico, por isso esperamos que as descobertas levem à melhor prevenção e tratamento de Alzheimer e de outras formas de demência”.

Participaram do estudo 10 atletas master, com idade média de 73 anos, que tiveram pelo menos 15 anos de treinamento aeróbico para competição, e 10 pessoas sedentárias da mesma faixa etária e nível acadêmico. Os pesquisadores constataram que a massa branca do cérebro se encontrava em melhor estado de preservação entre os atletas.

No cérebro humano, a massa branca desempenha um papel crucial na transmissão de mensagens entre as diferentes regiões da massa cinzenta – áreas onde ocorrem funções como visão, audição, fala, memória e emoções. Então, sem massa branca suficiente, a massa cinzenta não pode realizar seu trabalho, como acontece no caso de muitas pessoas que sofrem de diversos tipos de demência, explicaram os autores do estudo.

“Sem o funcionamento adequado da massa branca, o indivíduo pode começar a apresentar sinais de problemas neurológicos. Ele pode perder a habilidade de realizar tarefas quotidianas simples que costumamos não valorizar”, disse Benjamin Levine, diretor do IEEM, professor de medicina e cardiologia e eminente professor de ciência do exercício do UT Southwestern Medical Center.

Os pesquisadores concluíram que o estudo elucida alguns dos mistérios do envelhecimento cerebral, como a relação entre a circulação sanguínea no cérebro e sua a estrutura e funcionamento deste órgão.

Levine diz: “O estudo também revela que a pratica de exercícios aeróbicos em longo prazo tem um impacto definitivo e mensurável sobre a saúde cerebral. E o que é ainda mais importante, ele nos permite saber que dispomos de ferramentas que podem nos ajudar a lutar contra a demência e outros sinais clássicos do envelhecimento por meio de um programa de exercícios consistente e intencional”.

Como ainda não foi publicado em um periódico científico, revisado por profissionais da área, o estudo ainda é considerado preliminar.